Tchevap – O Sabor da Bósnia no Brasil

Ontem eu estava com uma amiga que é vegetariana. A gente estava morrendo de fome e eu não sabia dizer se os lugares que eu gosto tem opções para este tipo de público. Assim, sugeri o Calçadão Urbanóide na Rua Augusta, que é certeza de ter variedades vegetarianas e veganas.

Não passava por ali há alguns meses. Para minha surpresa há um novo food truck, logo na entrada, chamado Tchevap. “Tchevap” é o jeito que se pronuncia o nome de um prato bem típico da região dos Bálcãs – o Ćevapi (nome completo é Ćevapčići). Quando vi, fiquei mega empolgada e feliz porque após 4 anos eu finalmente poderia saborear novamente esta deliciosa iguaria.

Nos meus posts sobre a minha viagem à Bósnia eu mencionei a simpatia e hospitalidade das pessoas lá. Aqui não foi diferente: o bósnio Aleksandar Jokanvić foi sensacional e conversamos muito tempo sobre o país dele. Falei sobre os lugares que visitei em Sarajevo e sobre o tour em lugares afetados pela guerra. Ele me contou que fugiu de Sarajevo em 1993, quando a cidade ainda estava sob o cerco, e se estabeleceu aqui no Brasil. Ele trabalha com consultoria em T.I. mas há 3 meses entrou no ramo gastronômico. A intenção é expandir o negócio para outros bairros e até pensa em abrir um restaurante com mais opções de pratos de seu país natal. Eu torço muito para que ele consiga, pois a culinária da região tem uns sabores muito diferentes!

O tradicional Ćevapi do Tchevap é feito do jeito dos bósnios muçulmanos – sem a carne de porco. A descrição deles é: rolinhos de cordeiro e boi, grelhados em pedras vulcânicas, servidos no pão artesanal banhado em tutano (R$25)

Eles também oferecem a opção Tchevap Veggie, que são croquetes de lentilha, grão de bico, cenoura e cogumelos paris flambados na cachaça, grelhados em pedras vulcânicas, servidos com pão artesanal (R$20)

Esse pão artesanal é parecido com o pão pita que comemos aqui, só que mais grosso para que possa ser aberto e recheado.

Os acompanhamentos dos dois pratos são: alface, cebola roxa e os seguintes molhos:
Kopar – molho de iogurte, dill, cebolinha e maionese
Ajvar – pesto de pimentão vermelho e berinjela (se pronuncia Aivar)

O sabor me transportou de volta ao meu mochilão de 2013 no Leste Europeu. O Aleksandar me perguntou se era igual ao que comi na Bósnia e com certeza é. Comentei com ele que a única diferença é que lá na Bósnia vem cheio de cebola dentro. Ele disse que aqui não dava para fazer isso por causa do gosto dos brasileiros, e concordo com ele. Inclusive achei bem melhor sem aquela pilha de cebola dentro!

Eles vendem potinhos de Ajvar (R$16). Trouxe um para casa e já comi metade com torradinhas. É muito gostoso mesmo!

Se você quiser experimentar um pouco da culinária bósnia, este é o único lugar que vai encontrar por aqui em São Paulo e provavelmente no Brasil. Abaixo estão os detalhes que vieram no cartão de visita do Tchevap:

Telefone: (11) 96966-2596
Página: http://www.facebook.com/tchevap/

Hvala!

Advertisements

Culinária Internacional em São Paulo

Do fufu nigeriano ao poutine canadense; do bibimbap coreano às burekas do Leste Europeu. Talvez você queira um kebab de cordeiro à moda turca ou um completo smörgåsbord sueco. E tapas espanhóis? Pode ser um delicioso naan assado em um tradicional forno de barro indiano. Saltenhas bolivianas, pizzas gregas ou um eisbein grelhadinho?

Graças aos diversos imigrantes que são parte de nossa cidade, aqui em São Paulo encontramos uma imensa diversidade culinária.

Se você tem curiosidade de experimentar algo diferente, mas nem imaginava a variedade que temos aqui, montei uma lista com restaurantes que oferecem sabores do mundo afora. Pode dar um Ctrl+f e digitar o nome do país que você procura e clicar no nome do restaurante para ser direcionado ao site oficial ou página do Facebook. São quase 50 países diferentes. Não incluí restaurantes italianos ou japoneses porque já são muito comuns e conhecidos.

ALEMANHA    Zur Alten Mühle    Zur Laterne    Schnapshaus    Konstanz

ARGENTINA   Parilla Argentina    Martín Fierro

ARMÊNIA        Yeran    Esfiharia Effendi

AUSTRÁLIA      Aus Burger     Up Food Truck

ÁUSTRIA          Caverna Bugre

BÉLGICA          Chez Vous    Delirium Café

BOLÍVIA           Rincon La Llajta

BÓSNIA E HERZEGOVINA          Tchevap

BULGÁRIA       Casa Búlgara

bureka

Bureka de Queijo Búlgaro – Foto: Casa Búlgara/Facebook

CAMARÕES     Biyou’Z   – também há pratos de Senegal, Angola, Congo, Nigéria e Tanzânia

CANADÁ          Canuck’s Poutinerie

CHILE               El Guatón

CHINA              Chi Fu

COLÔMBIA     Sabores de Mi Tierra

CONGO             Congolinária

CORÉIA           Dare     BiCol    Seok Joung    K’Pop Chicken     Bomjur

CUBA               Havana Punto

EGITO              Khan El Khalili

ESPANHA      Don Curro   Almodóvar    La Alambra    Exquisito    Sancho

EUA                 Wendy’s (coloquei aqui só porque é “novidade” em SP)

FRANÇA        Allez, Allez    Le Jazz Brasserie    L’Entrecôte de Paris

GRÉCIA         Acrópoles    Gioconda Heleniká Pizza Grega    Myk

HAVAÍ           Pokee

HUNGRIA     Mignon Chárika     Doceria Húngara

ÍNDIA            Tandoor     Bawarchi    Gopala Hari

INGLATERRA   Camdem House

* Não me lembro o nome do restaurante, mas na esquina das ruas Souza Lima x Vitorino Carmilo, na Barra Funda, o inglês sr. Stephane tem um pequeno restaurante/rotisserie. Há diversos tipos de comida, mas ele vende algumas tortas e bolos que são típicos da Inglaterra.

IRà                Amigo do Rei

amigo-do-rei

Kuku-e Shebet va Bagali, feito de favas verdes e endro. Foto: Amigo do Rei/Facebook

IRLANDA     O’Malley’s     All Black Irish Pub

ISRAEL         Adi Shoshi Delishop     Nur

LÍBANO        Halim     Saj     Casa Lins

LITUÂNIA   Delícias Mil Rotisserie

MARROCOS   Tanger     Banarabi

MÉXICO       Mexicaníssimo     Yucatán

NOVA ZELÂNDIA     Kia Ora

PERU            Riconcito Peruano    La Mar Cebicheria Peruana    Killa Culinária Andina

PALESTINA  Al Janaiah

POLÔNIA    Maria Escaleira 

polones

Foto: Maria Escaleira/Facebook

PORTUGAL  Ora Pois     Casa Portuguesa     Tasca da Esquina     Casa Mathilde

SÍRIA            Talal Culinária Síria     Ogarett

SUÉCIA        Svanen – fica em uma Associação Escandinava: culinária também da Finlândia, Noruega, Dinamarca e Islândia 

SUÍÇA          Florina

TAILÂNDIA     Namga     Tian

TURQUIA    Kebab Salonu     Firin Salonu     Lahmajun

URUGUAI   El Tranvía

VIETNà      Pho 366    Miss Saigon

vietnamita

Chả giò – Foto Miss Saigon/Facebook

==== PARA ENCOMENDAS ====

RÚSSIA       Nostrôvia         

VENEZUELA   Don Arepa

==== FEIRAS ====

Feira do Leste Europeu – Realizada uma vez por mês na Vila Zelina, concentração de imigrantes da região. Tem artesanato e gastronomia da Bulgária, Croácia, Eslováquia, Hungria, Lituânia, Polônia, República Tcheca, Rússia e Ucrânia.

Feira Kankuta – Festival de cultura boliviana com dança, artesanato e comida. Realizada todos os domingos.

Festival Árabe do Brás – Realizado todos os finais de semana, a feira tem como intuito promover a cultura árabe e ceder espaço para que refugiados possam vender arte e comida. O site oficial está com problemas e não consegui mais informações atualizadas sobre a feira.

Sugestões? Deixe nos comentários!

Culinária Brasileira em São Paulo

Quando se pensa em comida típica brasileira, a primeira coisa que vem à mente de muita gente é o famoso prato feito a.k.a PF: arroz, feijão, bife e batata frita. OK, essa é a base da nossa alimentação diária mas vamos pensar um pouco além: vivemos num país enorme e cada estado foi influenciado por povos diferentes, o que torna a culinária brasileira extremamente diversificada.

Pesquisei um pouco sobre a gastronomia de cada região do país e percebi que não conheço nem metade do que gostaria. Mas para a minha (ou nossa) alegria, a multicultural cidade de São Paulo tem um pouco de cada lugar; com a ajuda do Google encontrei alguns restaurantes que trazem o sabor de pratos típicos do Brasil afora.

Já fui mais de uma vez a alguns dos restaurantes citados no post mas a maioria ainda está pendente na minha lista.

pato-no-tucupi

Pato no Tucupi (Foto:Restaurante Amazônia/Divulgação)

REGIÃO NORTE

A culinária da região norte tem como base o peixe, principalmente o de água doce. Por ter uma forte influência indígena, alimentos de raízes como a mandioca também são muito apreciados.

O único restaurante que eu encontrei especializado nesta culinária foi o Restaurante Amazônia, que de acordo com o site oficial, é um restaurante paraense que conta também com pratos típicos de outros estados da região norte. No cardápio é possível encontrar Pato no Tucupi, Peixada, Caranguejada, Maniçoba, Vatapá do Pará, Carurú e Pirarucú de Casaca, além de sucos e sobremesas feitos com frutas típicas da amazônia.

REGIÃO NORDESTE

A região nordeste tem uma herança cultural indígena, africana e européia; na alimentação frequentemente vemos frutos do mar, raízes e carne de sol. A culinária nordestina faz parte do nosso dia a dia afinal São Paulo é o estado onde vivem mais nordestinos fora do nordeste. Na capital é fácil encontrar diversos restaurantes e “casas do norte” onde encontramos delícias da região nordeste como o famoso baião de dois, bobó de camarão, tapioca, queijo coalho e até rapadura.

O Centro de Tradições Nordestinas no Bairro do Limão com certeza é o lugar mais recomendado para encontrar os mais variados tipos de pratos nordestinos, do baião de dois à buchada de bode. Há diversas opções de quiosques e restaurantes. O local ainda conta com uma programação cultural com música, feira de artesanato e parque de diversões para as crianças.

Outros restaurantes:

Rancho Nordestino – De dono cearense, o Rancho Nordestino já fez nome na região do Bexiga / Bela Vista. Traz um pouco do que é bem popular na maioria dos estados nordestinos, além de 57 tipos diferentes de cachaça.

Consulado da Bahia – Em uma casa bem colorida que lembra bastante o jeito do pelourinho e com pratos bem servidos, o carro chefe da casa é o Bobó de Camarão. A porção de acarajé também é excelente. O atendimento é simpático e acolhedor. A Rota do Acarajé é uma outra opção para pratos típicos da Bahia.

acaraje

Acarajé do Consulado da Bahia. Foto: Divulgação/Facebook

Colher de Pau – Esta casa do Ceará é uma filial da casa de Fortaleza. Tem diversos pratos preparados com peixes e frutos do mar, como as famosas moquecas. Também apresenta pratos com carne de sol e carneiro. As sobremesas vão de sorvetes feitos com frutas encontradas na região até o Bolo Souza Leão, feito com macaxeira e coco queimado.

Jesuíno Brilhante – Restaurante Potiguar que oferece pratos típicos do sertão. No cardápio encontramos carne de sol, feijão de corda, bolinho de arroz vermelho do sertão e a sobremesa conta até com cajuada com queijo coalho grelhado.

jesuino-brilhante

Paçoca de carne de sol com arroz de leite e queijo coalho – foto: Gastrolândia

REGIÃO CENTRO-OESTE

Na região centro-oeste, podemos encontrar a influência da culinária de diversos outros estados e até de países vizinhos: a região já era habitada por indígenas, os bandeirantes levaram um pouco de cada lugar consigo na época de exploração e também há contribuição da culinária paraguaia. Não é difícil encontrar pratos exóticos, feitos à base de carne de animais como paca, tatu e jacaré.

Talvez aqui em São Paulo não seja possível encontrar esse tipo tão exótico, mas existem dois restaurantes que eu encontrei que podem dar uma idéia do sabor da gastronomia do Cerrado:

Sobaria – Imigrantes de Okinawa trouxeram ao estado do Mato Grosso do Sul o sobá, um macarrão japonês que hoje é um prato típico da região. Claro que o prato sofreu alterações e ficou com jeitinho brasileiro. Além do sobá, o restaurante tem em seu cardápio o Pintado e a Linguiça de Maracaju. Outra coisa bem diferente que este restaurante traz é o Refrigerante Funada sabor Mate Chimarrão, diretamente de Corumbá.

soba

Sobá (Foto: Sobaria Facebook/Divulgação)

Rancho Goiano – No restaurante é possível encontrar pratos como Frango com Pequi, Pintando na Telha, Pastelzinho de Milho Verde, espetinho com leitão, cabrito e coelho. O horário de funcionamento nos dias de semana é de 12h-15h / 18h-00h, sábados de 12h-01h e domingos 12h-19h.

REGIÃO SUL

A Região Sul do Brasil é muito influenciada tanto pela culinária dos nossos países vizinhos Paraguai, Uruguai, Argentina (o que significa churrasco!) bem como pela culinária européia trazida principalmente por imigrantes alemães, italianos e poloneses.

Tordesilhas – Este restaurante não é típico do Paraná, porém foi o único lugar até agora onde encontrei o famoso Barreado, que é um prato típico de Morretes, cidade do litorânea do estado. O Tordesilhas na verdade é um restaurante onde encontramos pratos típicos de diversas regiões do Brasil, do Acaçá ao Cururu, da Moqueca Capixaba ao Arrumadinho Pernambucano.

cerveja-ilha-santa

Cerveja Ilha Santa, de SC – Foto: O Catarina – Facebook/Divulgação

O Catarina – Dono nascido em Floripa que resolveu montar um bar em São Paulo com o clima de sua cidade natal. O cardápio não é nada muito diferente do que já foi recomendado acima; a maioria dos pratos é a base de peixes e frutos do mar. Eles trazem também cachaças e cervejas de Florianópolis.

Portucho – Significa “Portenhos e Gaúchos” e é especializado em carnes. O cardápio possui diversas opções de cortes e eles têm mesmo a preocupação de deixar a carne no ponto que você gosta. A carta de vinhos conta com aproximadamente 180 rótulos. O almoço executivo conta com buffet e preços promocionais.

REGIÃO SUDESTE

A culinária do sudeste é muito diversificada. Os índios já habitavam a região e os portugueses e os negros vieram em seguida, formando uma grande população nas primeiras décadas de sua história. Depois vieram mais pessoas de outros estados e países; cada povo deixou e ainda deixa aqui sua influência cultural e consequentemente gastronômica.

Tempero das Gerais – Os restaurantes de comida típica mineira estão espalhados pela cidade e certamente são a maioria com relação à restaurantes de outros estados vizinhos. Já comi em diversos deles e, na minha opinião, o melhor que estive é o Tempero das Gerais. Eles têm 3 unidades, sendo duas no Brooklin (uma oferece pratos à la carte e a outra um enorme buffet) e uma na Penha. Os pratos à la carte são imbatíveis. O cardápio fala que são para 2 pessoas mas 4 pessoas comem tranquilamente. A carne de porco é bem presente nesta culinária, bem como a carne de sol.

tempero-das-gerais

Leitão à Pururuca – Foto: Tempero das Gerais/Divulgação

Restaurante Meaípe – Especializado em Moqueca Capixaba, o prato mais típico do estado do Espírito Santo. Os capixabas levam bem a sério o preparo da moqueca, que é feito em panelas especiais de barro produzidas pelas Paneleiras de Goiabeiras, que eu mencionei neste post.

Boxixo Carioca – A proposta do Boxixo Carioca é trazer “opções clássicas da Cidade Maravilhosa” – uma mistura de pratos saudáveis e comida de boteco.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Virado à Paulista? Não, obrigado. Foto: Gshow

Finalizando com o estado de São Paulo, onde nasci e moro, toda terça-feira temos basicamente em qualquer restaurante da cidade o famoso “Virado à Paulista”, prato que era a base da alimentação dos bandeirantes – você pode ver a história do prato nesta matéria do Estadão. Eu particularmente não gosto muito do virado e prefiro mesmo é a pizza, e o estado de São Paulo sozinho consome mais da metade das pizzas produzidas em todo o Brasil. Temos a tradicional Pizzaria do Ângelo, na Moóca; A Speranza no Bixiga e a rede 1900 que tem excelentes sabores.

E você? Conhece algum lugar na cidade de São Paulo que tem no cardápio comida típica de algum outro estado brasileiro? Deixe sua recomendação nos comentários!

Lista 7 – Milk Shakes Imperdíveis em São Paulo

Diz a lenda que a primeira aparição do milk shake (de que se tem notícia) foi em 1885 em um jornal americano. No começo, não foi muito bem aceito pela sociedade porque tinha um gosto muito forte. Parte dos ingredientes eram ovos e whisky.

Essa delícia só foi amplamente aceita depois da mudança no preparo e da invenção de eletrodomésticos como o liquidificador. A partir da década de 30 a mistura de leite, sorvete e outros ingredientes batidos nunca saiu de moda e vira e mexe aparece algum sabor diferente dos tradicionais – chocolate, baunilha, morango e flocos.

Aí que quero chegar: os sabores diferentes. Aqui em São Paulo temos muitas opções de hamburguerias que apostaram e acertaram as misturas. Não vou arriscar dizer quais são os melhores pois isso varia muito de pessoa pra pessoa mas, depois de experimentar vários deles, preparei uma lista com os 7 que eu pessoalmente acredito que aqueles que gostam muito de milk shake deveriam experimentar. A descrição dos ingredientes foi tirada do cardápio dos restaurantes e como eu quase sempre tomo os shakes primeiro pra depois lembrar de tirar as fotos, as imagens foram retiradas das páginas oficiais do Facebook de cada estabelecimento.

1 – Guinness com Jack Daniels

Apesar de ser alcoólico, o milk shake tem um sabor bem suave. É o milkshake mais caro da lista, mas acredite: é bom demais!

Ingredientes: Sorvete Häagen-Dazs, cerveja Guinness, whisky Jack Daniels.

Onde: Meats – Pinheiros

2 – Ferrero Rocher

Preciso dizer mais que isso? Qualquer coisa com Ferrero Rocher fica uma delícia! Eles também tem milk shake de oreo, paçoca e doce de leite geniais!

Ingredientes: Sorvete Häagen-Dazs, Ferrero Rocher e cobertura especial.

Onde: Snack Point – Alto de Pinheiros, Vila Leopoldina

3 – Paçoca

Pensei que seria muito doce, mas eles souberam medir bem os ingredientes para deixar uma textura cremosa com sabor equilibrado e crocante.

Ingredientes: Sorvete de doce de leite e baunilha Häagen-Dazs e paçoca.

Onde: General Prime Burger – Itaim Bibi, Shopping JK Iguatemi e Market Place.

4 – Body Count

Vou descrever esse milk shake apenas como simples e gostoso! Chocolate com o gostinho de Baileys no fundo. Consulte o cardápio desta hamburgeria, pois eles tem outros milk shakes especiais e que também merecem ser experimentados.

Ingredientes: chocolate e licor Baileys

Onde – Rock’n’Roll Burger – Consolação

5 – Churros

Pra quem ama milk shake E churros, é obrigatório experimentar este sabor. O milk shake vem acompanhado com 3 churros, tamanho destes varia de acordo com o tamanho do milk shake que você pedir.

Ingredientes: Quando eu passei lá, o milk shake ainda não estava no cardápio. Vou arriscar aqui que tem doce de leite, sorvete de creme e um pouquinho de canela.

Onde: Jazz Restô & Burgers – Ana Rosa

6 – Gianduia

Gianduia é uma mistura de chocolate com pasta de avelã, na proporção 70% e 30%, respectivamente. Apesar de avelã lembrar Nutella, aqui o sabor também me parece menos doce que o do milk shake só de Nutella.

Ingredientes: Sorvete de chocolate, gianduia, calda caseira de chocolate, chantilly e alguns segredos.

Onde: Lanchonete da Cidade – Jardins, Moema, Pinheiros e nos shoppings Cidade Jardim e Higienópolis.

7 – Oreo

Esse milk shake fica em último lugar por não ser tão cremoso quanto os já mencionados, mas nem por isso deixa de ser gostoso. O legal do Gibi é que eles sempre estão inventando umas misturas malucas nos shakes e nos drinks.

Ingredientes: sorvete de creme e oreo

Onde: Gibi Cultura Geek – Vila Mariana

BONUS TRACKS        

Milk shakes que ainda não experimentei, mas estão na minha lista:

Kit Kat com Amarula, no Chip’s Burger

Five-Dollar Shake – sorvete de chocolate branco, calda de chocolate, camadas de ovomaltine cristal e chantilly, no Big Kahuna Burger

E vocês? Sugestões de milk shakes imperdíveis?

Se tiver, podem me mandar que vou experimentar com todo o prazer!

Madrid

Capital da terra da sesta, dos tapas e das touradas, Madrid é dona de uma rica herança cultural. Das praças que lembram cidades pequenas e românticas aos imponentes edifícios antigos e modernos, a cidade atrai visitantes interessados em sua cultura e história.

Vale a pena visitar Madrid, mas dependendo do gosto do freguês talvez ela não seja tão interessante quanto pareça. Pesquise bem os lugares que você deseja visitar para definir o tempo que você vai passar por lá.

De Paris a Madrid

Existem várias companhias aéreas Low Cost que vão para Madrid. Eu fui pela Easyjet mas pra variar, confusão na hora de determinar o portão de embarque: corre daqui pra lá e volta. Isso que eu já estava aborrecida de ter ficado pelo menos 40 minutos na inspeção de bagagem. O oficial resolveu tirar tudo o que tinha na minha mala de mão e olhar item por item. Mesmo sem apitar o sensor de metais me fizeram tirar os sapatos e me revistaram. Tive que colocar tudo rapidinho dentro da mala e de qualquer jeito, pois já estava em cima da hora de embarcar.

Para chegar em Madrid você tem como alternativa o ônibus da Eurolines e os trens que são operados pela Renfe.

Em Madrid

Se você chegar de ônibus, trem ou avião não se preocupe: todas as alternativas estão conectadas a uma estação de metrô.

Se você chegar de avião, a linha 8 do metrô de Madrid possui as estações Aeropuerto T4 e Aeropuerto T1 T2 T3. É oferecido ônibus para ir de um terminal ao outro internamente no aeroporto. Outra opção para ir do aeroporto ao centro é o ônibus da Líneas Exprés Aeropuerto que funciona 24h.

Os ônibus param na Estación Sur (Mendéz Álvaro) na linha 6 enquanto os trens podem chegar nas estações Puerta de Atocha (linha 1) ou Chamartín (linhas 1 e 10).

Fique atento para comprar o tipo certo de bilhete de metrô pois eles possuem zonas diferentes de tarifação e pode ser que outro tipo de bilhete seja usado para chegar até a estação que você precisa. Guarde sempre os bilhetes com você pois mesmo havendo catraca nas estações, os fiscais entram para verificar se você possui o bilhete e há o risco de multa caso não esteja com o seu.

Para utilizar o transporte público, os turistas podem adquirir o Abono de Transportes com viagens ilimitadas dentro de um período de tempo, que pode ser 1, 2, 3, 5 ou 7 dias dentro da zona A ou da zona T. Mais informações: http://www.ctm-madrid.es/servlet/CambiarIdioma?xh_TIPO=8#aturistico

A impressão que eu tive é que os espanhóis não são pacientes para dar informação (o funcionário do metrô ficou irritado quando eu não entendi sobre o bilhete certo da zona que eu precisava ir), então não perca tempo e pegue logo um mapa da cidade no primeiro posto de informação turística que você encontrar.

O Hotel

Deixei Madrid para visitar por último pois tenho uma amiga que mora lá e que não via há uns 6 anos. Fiquei na casa dela por uma semana e por isso não tenho review para fazer sobre hotel.

ONDE IR

PUERTA DE ALCALÁ

A Puerta de Alcalá é um monumento construído em 1778 por Francisco Sabatini a pedido de Charles III. Na época, foi a entrada principal da cidade e hoje é um símbolo de Madrid.

Como chegar: estações Banco de España / Retiro

UM PASSEIO NA GRAN VÍA

Inaugurada em 1910, a Gran Vía é hoje uma veia econômica muito importante para Madrid: repleta de restaurantes, cafés, bares, teatros, cinemas, lojas de marca, edifícios históricos e prédios comerciais. Alguns edifícios históricos muito visitados são o Metrópolis e o Grassy. A Gran Vía começa em Calle de Alcalá e termina em Plaza de España.

Não se esqueça que algumas lojas podem estar fechadas por causa da hora da sesta. Se atente ao horário fixado na porta.

Como chegar: estações Gran Vía / Banco de España / Callao / Santo Domingo / Plaza de España

PLAZA DE ESPAÑA

No centro da praça, um jardim onde há uma fonte com estátuas que representam Don Quixote e Sancho Panza, seu escudeiro, em homenagem ao escritor Miguel de Cervantes. Ao redor da praça se encontram alguns dos mais altos edifícios de Madrid. A praça fica situada no final da Gran Vía.

Como chegar: estação Plaza de España

PLAZA DE CIBELES

Um dos cartões postais de Madrid, a Plaza de Cibeles abriga não só a fonte com a deusa da natureza mas também dois edifícios históricos: o Palácio das Comunicações e o Banco da Espanha.

Como chegar: estação Banco de España

Plaza de Cibeles

PASEO DEL PRADO

Carlos III mandou construir o Paseo del Prado para que fosse o centro das ciências de das artes de Madrid. Começe da Plaza de Cibeles e caminhe pelos belos jardins. Nos arredores da praça, temos:

  • O famoso Hotel Ritz;
  • Monumnento del Dos de Mayo, feito para comemorear a Guerra de Independência contra a França;
  • Salón de Reinos, que foi museu de artes e museu militar até que o Museu do Prado abrigasse suas obras;
  • Museo Nacional de Artes Decorativas;
  • Palacio de Linares, que hoje é uma organização que tem por objetivo a promoção da cultura latino-americana.
  • Congresso de Los Diputados;
  • Museo Thyssen-Bornemisza;
  • Museo del Prado.

Como chegar: estação Banco de España

PARQUE DEL RETIRO

Antigamente, o parque era um anexo do palácio de Filipe IV. Hoje é uma das maiores áreas verdes de Madrid. Há concertos, passeios de barco pelo lago, teatro de fantoches etc. Outros lugares para visitar dentro do parque são: Palácio de Velázquez, o Jardim das Rosas e o lindíssimo Palácio de Cristal.

Como chegar: estação Retiro

Parque del Retiro

PLAZA MAYOR

No coração de Madrid, a Plaza Mayor tem lojas típicas espanholas, além de algumas performances artísticas como por exemplo a dança flamenca. Os lugares mais famosos na praça são a Casa de la Panaderia  e a Casa de la Carnicería. No entorno há muitos restaurantes espanhóis interessantes no subsolo com aquela impressão de calabouço. O Restaurante Botín, conhecido por ser o mais antigo do mundo, fica bem próximo também.

Como chegar: estação Sol

MERCADO DE SAN MIGUEL

Uma parada obrigatória pra quem quer experimentar a culinária local. Você pode comprar frutas, peixes, flores e vinhos. Que tal comer um petisco enquanto toma uma típica sangria espanhola?

Como chegar: estação Sol (fica ao lado de Plaza Mayor)

Puerta del Sol

PUERTA DEL SOL

Puerta del Sol é onde fica o marco zero de todas as rodovias espanholas. Lá também encontramos edifícios históricos e a estátua símbolo de Madrid: o urso buscando os frutos do medronheiro.

Como chegar: estação Sol

PALÁCIO REAL

O Palácio Real possui uma coleção impressionante de pinturas, instrumentos musicais e armamentos. A troca da guarda (que eu não vejo nenhuma graça, mas muita gente curte ver) é feita na primeira quarta-feira do mês às 12h (exceto no verão ou quanto há cerimônias oficiais) e nas demais quartas às 11h na Puerta del Príncipe.

Como chegar: Recomendo caminhar da Puerta del Sol até o Palácio. Mas descendo na estação Ópera você também chega.

PLAZA DE TOROS DE LAS VENTAS

De forma nenhuma eu sou a favor das touradas nem com a desculpa de ser algo da “cultura” espanhola. Do meu ponto de vista não justifica a violência e crueldade com os animais e eu não assistiria uma tourada neste lugar. Eu vi o lugar por fora e não podemos negar que a arquitetura da praça de touros é muito bonita e diferente de tudo o que você já viu. Também há o Museu Taurino com exposições relacionadas às touradas.

Como chegar: estação Ventas

TOUR BERNABÉU

Para quem gosta muito de futebol como eu esse é um tour obrigatório. No tour está incluso a vista panorâmica do estádio, a exposição de troféus, e visitas à parte VIP, túnel de jogadores, zona técnica e banco de reservas, vestuários, sala de imprensa e uma pisadinha numa área reservada do campo. Também há montagens de fotos com seu jogador preferido do Real Madrid.

Mais informações: http://www.realmadrid.com/cs/Satellite/en/1193040472497/GenericoContenedor/1193040472497.htm

Como chegar: estação Santiago Bernabéu

Santiago Bernabéu Tour

UMA VISITA À TOLEDO

A cidade medieval de Toledo é bem próxima a Madrid e você pode ir de ônibus ou trem e visitar em um dia. Coloque um sapato confortável para explorar este lugar que foi influenciado por visigodos e mouros e onde igrejas, sinagogas e mesquitas convivem próximas e sem conflitos. Coma um famoso marzipan ao fazer a rota de  Dom Quixote de La Mancha, sinta-se como se estivesse em uma de suas aventuras.

Toledo

Duas dicas aleatórias de lugares que eu recomendo:

  • Mauna Loa – Bar Hawaiano muito diferente que vale a pena conhecer. Endereço: Plaza de Santa Ana, 13, 28012.
  • The James Joyce Pub – Excelente pub com ótima relação custo / benefício. Endereço: Calle de Alcalá, 59  28014

EU NÃO FIZ, MAS VOCÊ PODE FAZER

TELEFÉRICO DE MADRID

Diz oferecer uma visão única de Madrid. Aparentemente tem um parque infantil próximo e você pode comprar ingressos combinados.

Mais informações: http://www.teleferico.com/precios

Como chegar: estação Argüelles

DESCUBRA MADRID – VISITA GUIADA

História, arte, gastronomia e curiosidades em uma visita guiada disponível em várias línguas, como espanhol, inglês, francês, italiano, português, alemão e japonês. Inclui visitas adaptadas para pessoas com deficiências. Em datas e rotas específicas, eles fazem uma caminhada dramatizada – os guias se vestem a caráter para apresentar alguns pontos turísticos.

Mais informações: http://www.esmadrid.com/descubremadrid

PARA A FAMÍLIA

OUTROS PARQUES

  • Sabatini
  • Jardim Botânico Real
  • Casa de Campo
  • Campo del Moro
  • Parque Capricho
  • Parque Juan Carlos I

Minha viagem terminou em Madrid, mas antes eu dei um pulo em Barcelona. Vou comentar desta cidade no próximo post.

Até! 😉