Inhotim

– Inho-quê?

Essa foi a pergunta que eu mais ouvi ao dizer que faria uma viagem a Minas Gerais para conhecer Inhotim. Nenhuma pessoa com quem falei tinha sequer ouvido falar neste lugar. Engraçado que tinha tanto gringo quanto brasileiro lá. Inhotim é um museu de arte contemporânea que expõe suas obras a céu aberto ou em galerias temporárias ou permanentes num lindo Jardim Botânico situado na cidade de Brumadinho, aproximadamente 60km de Belo Horizonte.

Beleza natural de Inhotim

Depois de alguns passos após entrar, você se depara com isto

Legal esse banco, não é?

Até pouco tempo antes eu também não tinha ouvido falar nesse em Inhotim. No voo da viagem ao Espírito Santo, li numa revista da TAM a respeito de um artista chamado Tunga, que possui uma exposição permanente em Inhotim numa galeria que leva seu nome. Achei as obras interessantes e anotei o nome do lugar para pesquisar depois, mas a própria TV Globo do Espírito Santo passa diversos lugares turísticos do Brasil nas propagandas e foi lá que vi Inhotim novamente. Meu interesse cresceu e assim que tive a oportunidade, programei minha visita ao local.

Em Belo Horizonte

Peguei um voo até Belo Horizonte e me hospedei em no apart hotel Ímpar Suítes Cidade Nova, numa região boa e com fácil acesso a qualquer lugar da cidade por ficar próximo à uma avenida onde passa muitos ônibus. É próximo também ao Minas Shopping e à estação de metrô. O metrô de Belo Horizonte parece mais o trem da CPTM da linha Diamante. Mas tudo bem.

Em Belo Horizonte, não deixe de visitar a Praça da Liberdade com seus edifícios históricos e fazer um passeio na Savassi.

De Belo Horizonte a Inhotim

Há um ônibus de Belo Horizonte diretamente a Inhotim pela companhia Saritur. Compre sua passagem pelo menos um dia antes, pois há só uma saída pela manhã e uma volta no final da tarde. Você pode comprar as passagens online no site da empresa. Cada trecho custa aproximadamente R$16,00. A rodoviária fica na estação Lagoinha do metrô.

Inhotim

Na bilheteria, você pode comprar o ingresso para o dia ou um passaporte válido para vários dias. Realmente, visitar em um dia só é bem corrido pela imensidão do lugar. Coloque seu tênis mais confortável para explorar Inhotim. Cheio de subidas, descidas e com obras até no meio do mato, não esqueça de passar protetor solar e levar sua garrafa d’água.

Não se preocupe tanto com a parte de comida. Há diversos tipos de lanchonetes e restaurantes espalhados pelo parque.

Pra quem tem dificuldades de locomoção, eles oferecem transporte em um carrinho. Para usar este serviço, é necessário pagar uma taxa de R$20,00 junto com seu ingresso na entrada. Eles aceitam cartões. O museu não abre às segundas e às terças a entrada é gratuita.

No mapa que você pega na bilheteria, há um traçado com as trilhas que você pode fazer a pé. Prepare-se para descobrir obras interativas, misteriosas, abstratas e divertidas. Além de curtir as obras, dá uma paz um lugar com tanto verde, belos lagos e ar puro. Inclusive você pode ver alguns animais passando pelos campos.

Saguizinho passeando pela trilha

Um dos lagos de Inhotim

O mapa é esse aqui igual do site: http://www.inhotim.org.br/uploads/Noticias/mapa-parque.htm

Vou destacar algumas obras de exposições permanentes que achei muito interessantes:

Galeria Cosmococa

Que tal deitar numa rede ou em um puff e relaxar ao som de Jimi Hendrix? Ou talvez entrar numa piscina pra lá de psicodélica? Sim, você pode entrar na piscina se tiver uma roupa de banho! Vi crianças se divertindo a rodo. Para entrar nesta galeria, você precisa tirar os sapatos. O chão é diferente e você precisa sentí-lo.

Curtindo o som de Jimi Hendrix na Galeria Cosmococa

Piscina

Esta obra de Jorge Macchi representa uma agenda telefônica na forma de piscina. Aqui você também pode entrar e nadar.

Obra: Piscina, de Jorge Macchi

A Origem da Obra de Arte

Aqui, a artista Marilá Dardot faz com que os visitantes interajam com sua obra. Há diversos vasos de cerâmica em forma de letras e ferramentas para cultivar plantas. Você pode plantar e brincar de formar palavras e frases com os vasos.

Obra: A Origem da Obra de Arte, de Marilá Dardot

Sound Pavilion

Vale a pena a subida para chegar ao Sound Pavilion, obra do artista Doug Aitken. Há microfones que captam diferentes sons da terra na profundidade de 200m. Estes sons são amplificados dentro do pavilhão de vidro, de onde você tem uma visão dos morros e da mata ao redor. Relaxante pra valer!

Sound Pavilion, de Doug Aitken

Vegetation Room

Numa clareira, o Vegetation Room é um pequeno labirinto. Não dá pra se perder, mas é bem interessante. No meio do labirinto tem uma pequena queda artificial. A artista quis passar uma idéia de “paraíso secreto”.

Obra: Vegetation Room, de Cristina Iglesias

E tantas outras obras…

Inhotim tem tantas obras e galerias que é impossível comentar uma a uma (até porque quem sou eu pra ficar comentando obras de arte, não entendo nada!). Mas caso você queira conhecer um pouco mais das outras obras e dos artistas, além de conferir o que há nas exposições temporárias visite o site: http://www.inhotim.org.br/index.php/p/v/172

Confira sempre a programação: além das exposições temporárias, algumas vezes há shows e apresentações de outros tipos.

Obra: Troca-Troca, de Jarbas Lopes

Obra: Elevazione, de Giuseppe Penone

Obra: Beam Drop Inhotim, de Chris Burden

Na minha opinião, Inhotim é um lugar único que todo brasileiro deveria visitar uma vez na vida. Mesmo que a você não goste tanto de ver obras de arte, só de estar em um lugar tão lindo já vale a pena a viagem. É um lugar pra pessoas de todas as idades! Acho que não preciso dizer muito, as imagens falam por si… eu iria de novo!

Espero que você pegue um lindo dia de sol =)

Espírito Santo – Parte II

Depois de alguns dias em Guarapari, continuei minha viagem ao Espírito Santo indo à Vila Velha.

De Guarapari a Vila Velha

Os ônibus de Guarapari a Vila Velha param em diversos pontos de ônibus da cidade. Basta se informar qual o mais próximo de você. Em Vila Velha a mesma coisa. Dependendo de onde fica a sua acomodação, você não precisa ir até a rodoviária e voltar, basta descer no ponto que te deixa mais próximo. Leve um mapa do local que o motorista e o ajudante podem te ajudar com esta informação.

VILA VELHA

Vila Velha não é só uma cidade praiana, mas é uma cidade rica em história. Foi a primeira cidade do Espírito Santo a ser colonizada e foi capital da capitania até ser transferida a Vitória. Andando pela cidade é fácil perceber o peso histórico pelas construções da época da colonização. Atualmente, Vila Velha também é um polo industrial principalmente de roupas. Bom pra quem gosta de fazer compras.

O Hotel

Fiquei no Hotel Santorini, muito próximo da praia de Itaparica. O hotel é muito confortável mesmo. O preço não é tão em conta mas vale a pena pela localização. Do ônibus que vem de Guarapari, você pode descer praticamente na esquina do hotel, na Rodovia do Sol. A locomoção por transporte público é muito boa também, então não se preocupe em ter que pegar táxi dali para para outros lugares da cidade. Até para Vitória você pode ir com um ônibus comum que passa pela Terceira Ponte.

ONDE IR

Convento da Penha

De longe, o lugar mais famoso de Vila Velha é o Convento da Penha. Não só pelo lado religioso, mas porque ele fica situado em um morro de mais de 150m de altura e é de lá que se tem uma vista incrível de Vila Velha e da Terceira Ponte que liga a cidade a Vitória. Você pode subir o morro a pé pela Ladeira da Penitência, de carro ou de Van.

Terceira Ponte, que liga Vila Velha a Vitória, vista a partir do Convento da Penha

Visita à Fábrica da Garoto

Você só pode visitar a Fábrica da Garoto, mas tem umas burocracias: tem que agendar com antecedência por telefone e ir vestido apropriadamente. Mais informações: http://www.garoto.com.br/visite-fabrica.html

Teatro e Biblioteca Municipais

Tanto o Teatro como a Biblioteca foram tiveram sua inauguração na década de 90. Por isso a arquitetura é mais moderna. Eles ficam na Praça Duque de Caxias, a uma caminhada uns 20 minutos da Fábrica da Garoto.

Glória

O bairro da Glória é conhecido por ser um polo de confecções. O lugar ideal pra quem quer comprar roupa por um preço mais em conta, há diversas lojas de roupas pra diversos tipos de gosto e bolso.

Farol de Santa Luzia

O Farol de Santa Luzia fica na Praia da Costa e é aberto a visitação. De lá, podemos ver as cidades de Serra e Vitória, além de Vila Velha.

Forte Francisco Xavier

O forte começou a ser construído em 1535 e posteriormente foi ampliado por volta de 1700. Hoje abriga o 38º Batalhão de Infantaria.

Mais informações: http://www.visitevilavelha.com.br/patrimonio-historico/forte-sao-francisco-xavier-da-barra/

Morro do Moreno

Não cheguei a ir ao Morro do Moreno, mas é lá onde você pode praticar esportes como: Parapente, mountain bike e rapel. As pessoas costumam subir as trilhas para ver o pôr-do-sol, mas a segurança lá não parece essas coisas… então tenha cuidado se decidir ir. Não vá sozinho. Ele fica do outro lado do Convento da Penha.

Em Vila Velha há alguns museus e outras construções do período colonial. Confira no Mapa Turístico virtual da cidade: http://www.vilavelha.es.gov.br/guiaturistico/mapa-tur%C3%ADstico.html.

Praias

As praias de Itapoã, Itaparica e a Praia da Costa são as mais famosas de Vila Velha. Pra dizer bem a verdade, não fui em nenhuma, mesmo estando em um hotel a 100m da Praia de Itaparica. Queria mais conhecer a história da cidade do que as praias. As praias que fui em Guarapari foram suficientes, depois ainda fui em praias de Vitória.

Praia de Itaparica, vista da janela do Hotel Santorini

Guia das praias de Vila Velha: http://www.vilavelha.es.gov.br/guiaturistico/sol-e-praia.html

UM PASSEIO A DOMINGOS MARTINS

As propagandas que passam na TV são tantas que não tem como você não ficar com vontade de ir. Domingos Martins é uma cidade que tem uma colônia alemã. Fica na região serrana do Espírito Santo, a aproximadamente 60km de Vitória e Vila Velha e se orgulha de ter “o melhor clima do Espírito Santo”. Comprei a passagem na Rodoviária de Vitória e resolvi conhecer a cidade.

A cidade é pequena e simpática. Andando pelas suas pequenas ruas, você encontra algumas placas que mostram como se diz algumas palavras e expressões em alemão. Na praça principal, há uma feirinha de artesanato e em algumas datas, apresentações de danças típicas alemãs. Aproveite para comer em algum restaurante tradicional. As coisas lá não são caras.

Placas espalhadas pela cidade ajudam você aprender algumas expressões

Praça principal de Domingos Martins

Nos hotéis em Vila Velha e Vitória, você vai encontrar passeios com guia para Domingos Martins, e neste caso é a melhor forma se você não estiver de carro. Eu me lasquei de ter ido por conta. O ponto mais famoso da cidade é o Parque Estadual de Pedra Azul, com suas trilhas e piscinas naturais, mas não tem um mísero ônibus em Domingos Martins que leva até o parque. Assim como o parque, algumas outras atrações ficam no meio da estrada.

Parque da Pedra Azul (retirado de http://www.paixaocapixaba.com.br)

Outro passeio que você pode fazer por lá é o Trem Das Montanhas, um trem turístico que passa pelas cidades de Viana, Domingos Martins, Marechal Floriano e Araguaya. Os trens saem apenas nos finais de semana. Consulte preços e pacotes no site Serra Verde Express. Segue um vídeo da companhia sobre este passeio.

VITÓRIA

Eu não fiquei em Vitória, só em Vila Velha mesmo. De lá pegava um ônibus comum para ir até Vitória. Em certos horários, o trânsito é intenso e lento na Terceira Ponte, mas nada em comparação com o trânsito de São Paulo. Só fui de verdade pra Praia do Canto e Curva da Jurema – praias bem famosas em Vitória. Mas vou colocar alguns lugares legais com a descrição do guia de Vitória que peguei no posto de informação turística do aeroporto. Mais informações em: http://www.vitoria.es.gov.br/turismo.php

Parque da Fonte Grande

Parque natural localizado no ponto mais alto da cidade, a 308,8 metros de altitude, com mirantes e uma bela vista panorâmica de Vitória e de cidades vizinhas. Passeios pelas trilhas podem ser agendados por meio de visitas monitoradas que levam a uma fauna variada e vegetação característica da Mata Atlântica.

Horário: terça a domingo, das 8h às 16:40.

Tel: (27) 3382-6576

Parque Pedra da Cebola (retirado de http://www.cdvitoria.com.br)

Parque Pedra da Cebola

O parque recebe esse nome devido a uma pedra esculpida pela natureza que repousa sobre a outra e que, devido a seu comportamento geológico, se “descama” similar a uma cebola. Muito procurado para o lazer e caminhadas, conta com uma fazendinha, parquinho, lagos, mirante jardim oriental e campo de futebol. Possui 110 mil metros quadrados.

Tel: (27) 3327-4353 ou 3327-4298

Parque Moscoso

Inaugurado em 1912, é a mais tradicional e antiga área de lazer de Vitória, com playground, lagos, fontes luminosas, pequenos animais, concha acústica e árvores centenárias.

Tel: (27) 3381-6819

Parque Botânico Vale

Localizado no Complexo Industrial de Tubarão, o parque se estende por 33 hectares. Possui centro de visitantes, salas de exposições, trilhas sinalizadas, área para eventos, lagos, jardim sensorial, anfiteatro e área para recreação infantil. O parque também oferece visitas guiadas à área operacional da Vale, mediante agendamento prévio.

Tel: (27) 3333-6200

Manguezal

Situado na região noroeste da Ilha de Vitória, é um dos maiores e mais belos manguezais situados em área urbana do Brasil. Suas águas calmas convidam para passeios de escuna e pequenas embarcações.

Passeio de Escuna Rota Manguezal – Local de saída: Cais das Barcas – Santo Antônio

Manguezal (retirado de http://www.skyscrapercity.com)

Tel: (27) 3200-3155

Ilha do Boi

Com águas claras e tranquilas, a Praia Grande (esquerda) e a Praia da Direita são pequenas e bastante frequentadas por moradores e turistas. Uma alegria para os olhos e um paraíso para os banhistas de todas as idades.

Acesso: Rua Renato N. Daher Carneiro – Ilha do Boi

Uma observação minha: fica bem perto do Shopping Vitória, continuando a Praia do Canto.

Praia de Camburi

Com seis quilômetros de extensão, a Praia de Camburi oferece um largo calçadão com ciclovia, ideal para a prática de esportes e um passeio à beira-mar. Em suas areias pratica-se futevôlei, vôlei de praia, frescobol, futebol de areia, entre outros. O Píer é ponto de partida para passeio de escuna.

Acesso: Av. Dante Michelini

Passeio de Escuna: (27) 3222-3810 / 3224-3651

Praia Curva da Jurema

Com suas águas calmas e faixa de areia com 800 metros de extensão, é muito procurada por famílias e para a prática de esportes náuticos. Os visitantes também podem admirar a paisagem nos quiosques do local, que servem desde petiscos a refeições da culinária capixaba.

Acesso: Av. José Miranda Machado e Av. Américo Buaiz – Enseada do Suá

Curva da Jurema

Vida Noturna e Gastronomia

Triângulo das Bermudas – Região da Praia do Canto que reúne alguns dos melhores bares, restaurantes e boates da cidade, com muitas opções para sua diversão.

Rua da Lama – Próximo à UFES, no bairro Jardim da Penha, é um dos mais antigos endereços da boemia capixaba e recebe muitos estudantes de jovens de Vitória.

Paneleiras de Goiabeiras

O ofício das Paneleiras de Goiabeiras se constitui em um saber passado por gerações há mais de 400 anos e foi reconhecido como Patrimônio Cultural Brasileiro, registrado no Livro do Registro dos Saberes, do IPHAN. As paneleiras dispõem de um grande e apropriado galpão onde as associadas estão organizadas.

Visitação: terça a domingo das 8h às 18h.

Tel: (27) 3327-0519

Minha observação: são as Paneleiras de Goiabeiras que fazem aquelas panelas de barro onde vem as típicas moquecas capixabas.

Edifícios e Locais Históricos

  • Praça do Papa
  • Convento de São Francisco
  • Palácio Anchieta
  • Convento do Carmo
  • Museu Solar Monjardim
  • Museu de Arte do Espírito Santo (MAES)
  • Teatro Carlos Gomes

Sobre os lugares que passei no Espírito Santo: eu recomendo e digo que vale a pena. Tem lugares bonitos de tirar o fôlego e você não precisa gastar tanto como em alguns lugares do Nordeste, já que não tem toda aquela propaganda de turismo. Se você quiser saber de mais lugares pra visitar por lá, recomendo dois blogs: Rotas Capixabas e Terra Capixaba. Nada como seguir as dicas de quem MORA no lugar e conhece de verdade 😉

Espero ter ajudado você a montar seu roteiro! Até o próximo post!