Viena

A Áustria é um país novo e com diversidade histórica e natural. Antes de se declarar independente em 1919, fazia parte do Império Austro-Húngaro. Assim como os vizinhos Alemanha, Suíça e Eslovênia, a Áustria possui paisagens exuberantes com alpes e lagos. Uma das marcas registradas do país é a tradição musical que vem desde os tempos de Johann Strauss e sua famosa valsa “Danúbio Azul”. É sobre a cidade dos famosos Kaffeehaus e da música que pulsa a cada quarteirão nos concertos e artistas de rua que vou falar hoje.

De Ljubljana a Viena

A viagem de trem de Ljubljana a Viena durou umas 7 horas em um trem rápido e confortável. Comprei a passagem diretamente no guichê da estação principal de Ljubljana mas caso você queira comprar online, as vendas são feitas apenas pelo site da DB Bahn.

A rede ferroviária de Viena é operada pela ÖBB. Caso você necessite de lockers na chegada ou na saída da cidade, verifique esta lista com as estações que possuem esta facilidade: http://www.oebb.at/en/Planning_your_trip/Luggage/Luggage_lockers/

Sim, a estação principal de Viena tem lockers 😉

Em Viena

A estação de trem de Viena é interligada com a U-Bahn (metrô) que é bem eficiente. Também há trams e ônibus e não há dificuldade de locomoção por aqui. Uma opção é o Vienna Card, que oferece 48h ou 72h de transporte ilimitado (vale para ônibus, tram e metrô) e desconto na entrada de algumas atrações. O valor do passe de dois dias é €18.90 e do passe de 3 dias é €21.90. Leve em conta o tanto que você vai andar pela cidade para ver se vale a pena essa aquisição. Leve em conta também que na Áustria muita coisa pode ter o preço bem alto comparado a outros países da região, inclusive a comida.

O Hotel

Na verdade, hostel. Fiquei no Kaiser 23 Hostel & Guesthouse. Fica bem próximo à estação Westbanhof, que interconecta as linhas U3 e U6. Há diversas lojas, restaurantes e supermercados no entorno do hostel. Escolhi este local não só pela localização, mas pelo preço. Como eu disse achei tudo muito caro em Viena, mas pelo menos o hostel saiu bem em conta. Os quartos são confortáveis e super bem decorados, cada um com o nome de alguém que foi muito influente na Áustria. Eles oferecem a opção de quarto privativo para uma ou duas pessoas. O café da manhã é pago à parte e o Wi-Fi só na sala da recepção (pelo menos na época que eu fui).

O que visitar?

Ir à Viena é como pegar um DeLorean e voltar à era imperial. Passando pela cidade, a história do país que um dia foi um importantíssimo estado do Império Sacro Romano-Germânico e posteriormente parte do Império Austro-Húngaro, se mostra nas mais diversas formas de arquitetura. Enquanto você vai de um lugar a outro, não deixe de parar em uma cafeteria e curtir tranquilamente: o costume de fazer isso é tão grande para os locais que a UNESCO declarou que o passatempo oficial de Viena é fazer qualquer coisa numa cafeteria. E não se esqueça de experimentar o famoso Wiener schnitzel, um tradicional prato da culinária austríaca, semelhante ao nosso bife à milanesa! De sobremesa, a pedida é a famosa torta de chocolate que eles chamam de Sachertorte. A torta é famosa porque, lá em 1832, foi feita para o agrado de um príncipe de Viena.

E agora, os lugares a serem visitados!

Schönbrunn Palace

Considerado o Palácio de Versalhes de Viena, o Palácio Shönbrunn era a casa de verão da família imperial. O último Imperador, Ferdinand III, marido da famosa Sisi (há um museu que leva o nome dela), morou os últimos anos de sua vida neste local, até 1916. Apenas dois anos depois que virou propriedade da República da Áustria.

Há diversas opções de visita ao palácio. Você pode escolher um tour mais completo internamente, um mais tour um pouco mais curto, ou visita só aos jardins do palácio (que são lindos). Confira aqui no site oficial essas opções, e lembre-se que muitas pessoas visitam este Palácio e pode ser que haja uma fila bem grande se você for comprar o ingresso no local. Se possível, compre online!

Para chegar lá: estação Schönbrunn ou trams 10 ou 58.

Jardins de Schönbrunn com o Gloriette ao fundo

Hofburg Palace

Este Palácio começou a ser construído no século XIII com a intenção de ser uma fortaleza. Até 1918, quando o Império caiu, ele foi o centro do poder do Império dos Habsburg. Hoje, abriga um enorme complexo que pode ser visitado. As principais atrações do complexo fora o Palácio, são:

  • A Albertina, que reúne uma coleção de desenhos e gravuras;
  • A Augustinekirche, uma igreja paroquial da família imperial;
  • O Amalienburg, dedicado à Amalia Wilhelmine, com seu relógio astronômico.
  • A Prunksaal, Biblioteca Nacional Austríaca;
  • O Mozart Memorial, uma estátua de Mozart em meio aos jardins;
  • O Neue Burg, monumento ao general Eugênio de Savioa;
  • A Escola Espanhola de Equitação, onde há algumas exibições com os cavalos;
  • O Schweizertor, portão que leva ao Schweizerhof, parte mais antiga do Palácio.
  • A Schatzkammer, ou câmara do tesouro, onde estão as jóias da coroa e outros tesouros do Sacro Império Germânico-Romano.

E tem mais coisas ainda. As opções de visita oferecidas pelo museu se encontram aqui no site oficial.

Hofburg Palace

 

Os parques Burggarten e Volksgarten ficam nos arredores do Hofburg, caso deseje esticar a caminhada!

 

Museu de História Natural e Museu de História da Arte

Bem ao lado do Burggatern e do Volksgarten, atravessando a Burgring, fica a Maria-Theresien-Platz com suas esculturas. De um lado da praça está o Museu de História Natural  (Naturhistorisches Museum) e do outro o Museu de História da Arte (Kunsthistorisches Museum). Os dois museus lembram palácios e possuem incríveis coleções e exibições.

Para chegar lá: estação Volkstheater ou MuseumsQuartier

Informações: http://www.nhm-wien.ac.at/ e http://www.khm.at/en/

Kunsthistorisches Museum

Museums Quartier

Do outro lado da Marie-Theresien-Platz está uma das maiores áreas culturais do mundo: o Museums Quartier, traduzinto ao pé da letra: Quarteirão dos Museus. O Museums Quartier possui prédios contemporâneos e históricos (que datam dos séculos XVIII e XIX). Diz a lenda que são pelo menos 60 mil metros quadrados de cultura.

Neste mapa no site oficial, você consegue ver quais museus fazem parte do complexo e qual o tipo de exposição que ele oferece: http://www.mqw.at/en/institutions

Eu sinceramente passei lá pra ver como era, mas não visitei nenhum! Muita coisa para ver!

Para chegar lá: estação MuseumsQuartier

Casas de Concertos e Óperas

Como já mencionado nesse texto, a música é praticamente a respiração de Viena. A cada esquina há algum artista de rua com seus violinos; você será bombardeado com panfletos anunciando concertos em alguma igreja, capela ou nos teatros. Dentre esses lugares, podemos destacar:

  • Burgtheater, que apesar de bombardeado na Segunda Guerra Mundial, foi muito bem restaurado;
  • Staatsoper, famosa “Ópera de Viena”;
  • Konzerthaus;
  • Musikverein;
  • Volkstheater.

Todas essas construções são belíssimas. Não vou entrar em muito detalhe sobre cada um deles, pois Viena tem muitos lugares para falar e esse post vai ficar enorme. O importante é você saber que eles existem para fazer sua pesquisa e visitar se quiser 😉

Wiener Rathaus – Prefeitura

A prefeitura de Vienna foi construída em estilo Neo-Gótico entre 1872 e 1883. É um prédio bem impressionante, com uma torre de quase 100m que eles chamam de Iron Rathausmann. É possível visitar às segundas, quartas e sextas à uma hora da tarde. O tour não é realizado em feriados e quando há reuniões da prefeitura.

Como eu viajei em agosto, consegui pegar uma parte do Music Film Festival na praça da prefeitura. Fica bem cheio de pessoas, com várias barracas de comida.

Para chegar lá: estação Rathaus

Informações sobre tours: https://www.wien.gv.at/english/cityhall/tours.htm

Parlamento & Palácio Epstein

O Parlamento foi construído na mesma época que a prefeitura, de 1873 a 1883. Por dentro é muito mais imponente que por fora. Ele foi construído para lembrar o estilo de construções gregas, tanto que na entrada há uma fonte com uma estátua de Athena. Ao lado do Parlamento fica o Palácio Epstein, que também é usado pelos parlamentares porém o estilo de construção é totalmente diferente, apesar de ter sido projetado pelo mesmo arquiteto, Theophil Hansen. É possível visitar os dois locais, porém o ingresso para o Parlamento são 5€ e para o Palácio Epstein 8€.

Para chegar lá: estação Rathaus

Mais informações: http://www.wien.info/en/sightseeing/sights/from-l-to-r/parliament-palais-epstein

Belvedere Palace

O Palácio Belvedere foi residência de verão do príncipe Eugênio de Savóia. É dividido em duas partes: Belvedere Superior – onde está exposta uma coleção de arte, e Belvedere Inferior – onde é possível visitar os aposentos do príncipe. Para visitar o jardim do palácio não é necessário pagar ingresso.

Para chegar lá: esqueci de anotar o tram!

Mais informações: https://www.belvedere.at/en/tickets

Schloss Belvedere

 

Donauturm – Danube Tower

A Torre do Danúbio fica no Donaupark e oferece uma vista panorâmica a 252m de altura. Além do deck de observação, você pode fazer uma reserva no restaurante da torre para um almoço / janta com a vista da cidade.

Para chegar lá: Desça na estação de metrô Kaisermühlen e pegue o ônibus 20B

Site oficial: http://www.donauturm.at/en/

Wierner Riesenrad – A Roda Gigante de Viena

Esta não é uma roda gigante qualquer em um parque de diversões. A Riesenrad, que fica no Prater tem muita história. Tudo começou em 1897, quando foi construída para celebrar o Jubileu de Ouro do Imperador Franz Josef I. Depois de passar por algumas situações inusitadas, sobreviveu à uma ordem de demolição em 1916 por falta de verba, até que foi incendiada durante os conflitos da Segunda Guerra Mundial em 1944. A reconstrução da Roda Gigante começou em 1945 ao mesmo tempo que outros destaques da cidade, como o Burgtheater, foram reparados. Voltou a funcionar em 1947 e até hoje conta uma parte da história da cidade. A vista panorâmica a partir das cabines da Roda Gigante é muito bonita. No site http://www.wien.info diz que a Riesenrad conta até com uma cabine especial para casamentos.

Para chegar lá: desça na estação Praterstern Bf

Mais informações: http://www.wienerriesenrad.com/en/info

A histórica roda gigante de Viena

Eu não fiz, mas você pode fazer!

Estes são os principais locais a serem visitados em Viena. Não vamos esquecer que há outras cidades que valem a pena a visita: Salzburg, onde nasceu Mozart e seus palácios, catedrais e o famoso forte medieval; Linz, que tem muita história e hoje é um importante centro industrial; a famosa vila de Hallstatt, no meio dos alpes e à beira de um lindo lago; Innsbruck com o famoso telhado dourado, e cidade onde se pode sobrevoar os alpes de balão.

Balões em Innsbruck (retirado de http://blog.1800flyeurope.com/2011/08/up-up-and-away)

Viena se diz gêmea de uma cidade muito próxima, capital de outro país: Bratislava, na Eslováquia. No próximo post vou detalhar como visitar a cidade irmã. Até lá!