Bruxelas

Bruxelas é uma cidade com alguns pontos interessantes, mas a cidade no geral não me pareceu muito atrativa.

Se você gosta de chocolate e cerveja, certamente não irá se arrepender. Mas quando fizer a programação de sua viagem, se incluir Bruxelas não coloque muitos dias. Lembrando que em Bruxelas praticamente tudo fecha cedo.

Pode ter sido azar, ou a época que fui, mas a cidade estava bem suja. Dá um pouco de medo andar pelo centro cheio de mendigos que até estipulam o valor das esmolas (sério). Mas definindo direitinho os pontos por onde você quer andar, pode valer a pena um pulo na cidade.

Em Bruxelas

A viagem de Amsterdam a Bruxelas é curta e rápida – pouco mais de meia hora. A passagem de trem é barata, e saem trens geralmente a cada hora. Bruxelas também é atendida pelo Eurostar (trem bala), com ligações em Paris e Londres. A estação onde a maioria dos trens internacionais param é na Gare du Midi.

A rede de metrô da cidade não é muito grande e é interligada com os “trams” (bondes), sendo que algumas linhas de bonde passam na mesma plataforma que o metrô.

Em Bruxelas se fala francês e holandês, tanto que os nomes de ruas, estações, informações, etc são escritos nas duas línguas. Sorte sua se você falar uma dessas línguas, porque é difícil achar alguém que fale inglês.

O Hotel

Reservei pelo Booking.com o Hotel de France. Fica bem próximo à estação Lemmonier do tram.

Nesse bairro eu não ouvi nem Francês nem Holandês. Só Árabe. Até os funcionários do Hotel eram de origem árabe. Difícil de entender o inglês deles. O Hotel é bem simples, sem muito luxo e a diária tinha preço razoável. Mas se eu voltar algum dia pra Bruxelas, não ficaria ali novamente, mais pelo bairro em si.

Onde Ir

O lugar que eu mais estava ansiosa para conhecer em Bruxelas era o Atomium, que representa um átomo de ferro ampliado 165 milhões de vezes. No topo, você tem uma visão panorâmica da cidade. Existem outras exposições e atividades nas outras esferas do Atomium. Você deve conferir a programação antes de ir no site http://www.atomium.be

Próximo ao Atomium há a Mini-Europe, um parque que possui centenas de miniaturas feitas em escala de pontos turísticos da Europa.

334794_203190496412949_1549883514_o

Mini Europe e Atomium no Fundo

A Mini-Europe faz parte das atrações do Bruparck. Há também o Océade (parque aquático) e o Kinepolis (complexo de cinemas). Na parte The Village desse parque, há lanchonetes e restaurantes, incluindo um restaurante brasileiro (que eu vi depois de comer um sanduíche muito do estranho em outro estabelecimento).

Para chegar no Bruparck / Atomium / Mini-Europe, basta descer na estação Heysel.

Saindo de lá, fui até a Grand Place, principal ponto turístico da cidade. Ali encontramos o Hôtel de Ville (prefeitura) e muitos, muitos lugares que vendem chocolates deliciosos. Há muitos edifícios históricos na praça, como La Mason du Roi, La Maison des Ducs de Brabant e Le Renard. O Hôtel de Ville é aberto para visitação. Para chegar à Grand Place, desça na estação Gare Centrale e vá andando. Eu me perdi um pouco, tem que passar numas ruas escondidas, mas vá perguntando que você acha.

337892_203191999746132_692219872_o

Um pedaço da Grand Place

Não muito distante da Grand Place fica o Manneken Pis, uma famosa estátua de um menino fazendo xixi. Segundo o guia que eu comprei, “no século 12 o filho de um duque foi pego urinando numa árvore, bem no meio de uma batalha, fato celebrado em bronze como símbolo da coragem militar”. Pra mim é mais um símbolo de uma criança com vontade de fazer xixi…

No outro dia, desci na estação Mérode e fui ao Parc du Cinquantenaire, que possui em sua entrada os arcos feitos para comemorar os 50 anos da independência da Bélgica. Dentro do parque também encontramos o Musées Royaux d’Art et d’Histoire, o Musée Royal de l’Armée et d’Histoire Militaire e o Autoworld, exposição com uma enorme coleção de carros.

340771_203195206412478_2050049774_o

Parc du Cinquantenaire

Voltei para a estação Meróde e peguei o metrô até a estação Parc. Você pode caminhar por dentro do Parc de Bruxelles até chegar ao Palais Royal. Para o meu azar, estava fechado para obras. A uma pequena caminhada do Palácio fica a Place du Grand Sablon. Ali você encontra restaurantes, bares (que ficam abertos até mais tarde) e antiquários.

Meu passeio em Bruxelas acabou aqui, mas você pode querer passar pelo prédio do Parlamento Europeu e pelo Museu de Belas Artes.

Continua…

A viagem ainda não acabou. De Bruxelas, vamos pegar o “Le Tunnel sous la Manche” para chegar em Londres.