Lista 7 – Os Piores Presentes

Seja em alguma ocasião especial ou simplesmente numa demonstração de sua sincera amizade por alguém, tome muito cuidado na hora de dar presentes. No tema desta semana, faremos uma lista dos 7 piores presentes para ajudar você a evitar este tipo de gafe.

#7 – Peças de Vestuário
Pode ser uma coisa complicada quando você não conhece a pessoa muito bem. Talvez não tenha noção do gosto dela, e você acaba a presenteando com alguma coisa que, do ponto de vista dela, é o cúmulo do brega. Incluem-se neste item as cuecas samba-canção do piu-piu e a caixinha de lenços Presidente.

#6 – Perfumes
Se você não sabe qual o perfume que a pessoa está acostumada e gosta de usar, não invente moda. Ela pode não gostar do cheiro ou até ser alérgica.

#5 – Espremedor de Laranja
O presente mais clichê de todos os tempos.

#4 – Passagem para passar Reveillon na Praia Grande
Porque né?

#3 – DVD do Carlinhos de Jesus
Pra fazer aqueles passinhos

#2 – Produtos da Polishop
Não acabam com os problemas de ninguém.

#1 – Livros de auto-ajuda
Melhor pagar a consulta do psicólogo

Advertisements

Rockabilly Rules, ok?

Rockabilly nada mais é que a mistura de rock com o country (hillbilly), um estilo de música agradável e divertido. Com um piano animado e um jeito diferente de tocar baixo, o som se torna mais divertido para quem dança. Como diria meu amigo Murilo, o rockabilly sabe “como entreter as pessoas com letras inocentes, que vão de verdadeiras declarações de amor até um garoto pedindo para os pais para ficar até mais tarde na rua, com um ritmo extremamente dançante. São raras as garotas que já tenham visto alguém dançando e não sintam vontade de girar com tanta graça, e  todos os garotos querem ter a capacidade de fazer as garotas sorrirem e se divertirem tanta facilidade.”

Os anos 50 certamente foram anos dourados para quem viveu na época. A chamada geração “Baby Boomer” influenciou e modificou muito o modo de viver, quebrando algumas regras e vivendo mais sua juventude. Rapazes queriam ser astros do rock, com topetes, jeans apertado e jaquetas de couro, enquanto as moças sonhavam em ter o glamour de uma Pin Up, com belos penteados, vestidos rodados e salto alto. Em lambretas e cadillacs, iam tomar coca-cola ou milk shake e comer hamburger ao som do rockabilly, que marcou aquele tempo. Assim, foi estabelecida uma “cultura Rockabilly”.

Em meados dos anos 80, o estilo voltou com força através das bandas de Neo-Rockabilly, como Stray Cats e The Firebirds, e até hoje inspira diversas bandas que fazem versões tanto de músicas dos anos 50 como de músicas pop. Exemplo disso é o Full Blown Cherry, que faz cover de Ramones e AC/DC; The Baseballs, que fazem cover de Rihanna, Lady Gaga, Maroon 5, entre outros; Dick Brave & The Backbeats com cover de Michael Jackson, Pink e George Michael. Sem falar em bandas como TT Grace que tocam músicas próprias!

O Rockabilly vem crescendo bastante e se destacando no Brasil. Temos diversas bandas boas do gênero, como Crazy Legs, Jack Jeans, Alex Valenzi & The Hideaway Cats, Gaspa & Os Alquimistas, Annie & The Malagueta Boys e Henry Paul Trio. Vale a pena conferir.

Alguns levam tudo isso muito a sério, como estilo de vida. É o caso desta vila na Suécia, que parece viver nos anos 50 ainda. Sem exageros, é bem legal curtir e dançar ao som do Rockabilly. Dançar faz muito bem à saúde. Segundo esta matéria, a dança que mais faz gastar caloria é o Rock o/

Bem, se você ainda dança assim:

SEUS PROBLEMAS ACABARAM! O Rockabilly não exige que você seja um dançarino perfeito, você pode errar sem problemas. Até eu aprendi um pouco. A intenção é se divertir. Eu te conto onde aprender:

Em São Paulo:

The Clock Rock Bar – http://www.theclock.com.br

André Toffani – http://www.andretoffani.com/

Em Campinas:

Pasku Boots & Shoes – (19) 3387-7975

Em Jundiaí:

Gininha Canovas – (11) 9552-2617

Daí a gente aprende mais ou menos assim:

Agora é  só saber onde curtir e/ou dançar Rockabilly:

The Clock Rock Bar (São Paulo)

Pin Up’s Party (São Paulo)

Rockabilly Dancin’ Party (São Paulo)

Wooly Bully (Vinhedo)

Cadillac Vintage Bar (Santos)

Woodstock Music Bar (Campinas – confira a programação)

Jokers Pub (Curitiba – confira a programação)

Confira a agenda dos rockers! Outras informações sobre Rockabilly, Lindy Hop, Doo Wop, Boogie, etc no Portal Rockabilly.

Finalizo o post deixando para vocês C’mon Everybody do Elvis Presley.

Lista 7 – Piores Lugares Para Ter Uma Diarréia

Um tema como este só poderia vir da mente de uma pessoa muito besta como o Anselmo. E mais besta ainda nós que demos muita risada e aceitamos fazer a lista sobre tal assunto. Pelo menos eu ri muito só de pensar no que escreveria.

Eu acredito que não exista uma pessoa sequer neste enorme planeta Terra que não tenha passado por esta situação. Típica lei de Murphy: justo naquele lugar que não tem pra onde correr é que te dá aquele aperto dizendo “corre, tem piriri pela frente!”. Tudo o que podemos fazer é torcer para não dar nenhuma freada (de bicicleta, muito menos de caminhão), nem  borrar as calças e pagar mico no meio da rua.

Juntei alguns fatos, relatos e experiência própria e elaborei a lista. Segue abaixo os 7 piores lugares para ter um piriri:

#7 – Na casa da família do(a) namorado(a)

Imagine a situação: você foi conhecer a família da pessoa. De repente, enquanto fala com seu futuro sogro, vem o sinal. Você pede licença pra ir ao banheiro, e fica o maior tempo lá. Bem, todo mundo já sabe o que aconteceu lá dentro. Ainda mais porque logo depois outra pessoa entra no banheiro, e sente aquele cheirinho agradável. Pode ficar tranquilo, quando os parentes dele(a) tiverem mais intimidade, vão te zoar eternamente pelo ocorrido. Você será motivo de chacota por todas as gerações. Aconteceu com um amigo meu.

#6 – Na linha 1 – Azul do Metrô-SP (horário de pico)

Quem pega metrô na linha azul (norte-sul) em horário de pico sabe do que estou falando. Como a maioria das estações pega a parte central e outras regiões extremamente movimentadas, a fila de espera na plataforma é grande. Além disso, esta linha é um inferno. Acho que você ouve mais a mensagem “paramos para aguardar a movimentação do trem à frente” do que o aviso de “próxima estação”. Se você tiver um piriri ali, não espere chegar no seu destino. Desça na próxima estação e encontre o banheiro mais próximo logo, antes que a situação piore.

#5 – Pista de show em estádio

Banheiro de estádio é um lugar nojento, seja qual for o evento em questão. Mas muito pior que os banheiros que ficam à disposição de quem está nas arquibancadas ou cadeiras, são os banheiros químicos que ficam ao redor do gramado quando há grandes shows. Ter um piriri ali significa estar em maus lençóis. É muita gente muito porca pra pouco banheiro, e você precisará de muita coragem para entrar num banheiro desses. Às vezes a necessidade fala mais alto, mas se você tiver oportunidade de segurar, segure! Mantenha distância de banheiros orgânicos!

#4 – Apresentação na empresa ou faculdade

Você está apresentando aquele projeto na sua empresa e faculdade. Seu futuro depende em parte daquela apresentação. Mas você está com diarréia, amigo. Está suando frio e sentindo aquele desespero interno. Tudo o que você pensa é em sair correndo e ir direto ao banheiro. Mas não pode. Ainda não acabou. Essa é a hora que temos que mostrar que somos fortes e segurar as pontas. E claro, na primeira oportunidade, realmente sair correndo.

#3 – Em uma praia sem quioskes

Você comeu uma tapioca de queijo à noite. Acordou, resolveu passear e parou numa praia. De repente, sua barriga começa a avisar que você vai passar muito mal em breve. Você procura algum bar, quioske, qualquer lugar e não tem NENHUM. Você volta pra Orla, tenta achar algum restaurante, mas estão todos fechados ainda. Você anda se contorcendo caçando qualquer lugar que tenha um banheiro, e quando acha se depara com duas privadas uma ao lado da outra dentro de um box, sem porta, sem tranca nem nada.Você continua a procura e só acha um restaurante aberto meia hora depois. Definitivamente, algumas praias são péssimos lugares para ter um piriri. Aconteceu comigo em Aracajú-SE.

#2 – No meio de uma trilha

Quando fizer uma trilha, nunca se esqueça de levar papel higiênico né? Afinal, você vai estar em um lugar que não tem nada em volta. Se der uma diarréia no meio do morro ou da montanha, a única opção é literalmente “cagar no mato”. Não deve ser muito legal isso, portanto ao menos se prepare bem!

 

#1 – No seu casamento

Você já passou pelo mico quando conheceu a família da pessoa. Agora chegou o grande dia e o nervoso é tanto que te deu um piriri. Existe a tentativa de ir ao banheiro quando estiver na festa, mas todos querem te cumprimentar. Vai ser difícil chegar ao banheiro. Será estranha a ausência do noivo por tanto tempo. Pior a noiva, que é o centro das atenções. Todos a verão ir ao banheiro, acompanhada da mãe e da melhor amiga para ajudar a não arrastar o vestido no chão e para levantar todas aquelas camadas de tecido que a deixam parecida um bumba meu boi. Digna cena de filme de comédia da sessão da tarde. Que dificuldade, hein? Certamente, é o pior lugar para ter uma diarréia!

Lista 7 – Melhores Covers

Os bestas lindos decidiram que o tema desta semana seria os melhores covers.

A idéia de regravar uma música pode ser bem complicada. Há o risco de sofrer críticas duras dos fãs xiitas da banda que compôs a musica, mas também há o risco do cover ficar tão bom a ponto de fazer muito mais sucesso que a original.  Um exemplo disso é que muita gente pensa que “I Fought The Law” é uma música do Clash, quando na verdade foi gravada nos anos 50 pela banda The Crickets.

Pra ser sincera, eu gosto muito de covers. Dou risada com os covers que ficam toscos, bato palmas para os que ficam bons. Tudo bem, achei estranho mesmo ouvir uma versão Axé de Dyer Maker (Led Zeppelin) e nos últimos dias, de Back In Black (AC/DC) feita pelos Detonautas mas enfim… separei alguns covers que para mim, são melhores que os originais.

Segue a lista:

#7 – Tainted Love – Soft Cell

Original: Gloria Jones

Um dos clipes mais toscos da galáxia!

#6 – Do You Wanna Dance – Ramones

Original: Bobby Freeman

#5 – You Really Got Me – Van Halen

Original: The Kinks

#4 – The Wait – Metallica

Original: Killing Joke

#3 – Mr. Sandman – Blind Guardian

Original: The Chordettes

#2 – Blue Suede Shoes – Elvis Presley

Original: Carl Perkins

#1 – Long Live Rock’n’Roll – Steel Dragon

Original: Rainbow

Não deixe de conferir este cover de Crazy Little Thing Called Love, este de Hocus Pocus e este de Just a Gigolo. E claro, a lista do Anselmo, do Ricz e do Master também né?

Lista 7 – Os mais chatos da TV

Depois de conversar um pouco com o Master, decidimos que nesta semana escolheríamos os 7 mais chatos da TV.

A regra é esta: gente que esteve ou está diretamente envolvida na TV: atores, atrizes, apresentadores, etc. Convenhamos, é uma bela briga. Se tivesse uma lista dos 100 mais chatos, ainda faltaria espaço. Por exemplo: todo o elenco do Zorra Total, da Turma do Didi, dos Caras de Pau, daquele programa do Tom Cavalcante, aqueles caras que discutem futebol (um gritando e falando sem o outro terminar de falar), os envolvidos em programas de celebridades/fofocas, o Pânico na TV. Por aí já completava a lista dos 100.

Mas como são somente 7, vamos aos piores (Gugu/Faustão estão pau a pau, e não entram na lista porque são au concour).

#7 – Gil Gomes

Quem não se lembra das reportagens do Gil Gomes no Aqui Agora do SBT? Todo aquele suspense em torno do crime cometido, falando pausadamente com aquela voz grave e medonha, mexendo a mão direita (como o Daniel-San passando cera no carro do Sr. Miyagi). Era muito chato, dava nervoso de assistir. Eu era criança quando passava e acho que fiquei traumatizada.

Se você não se lembra, clique aqui e assista. Assustador.

#6 – Marcos Mion

Ele já teve seus dias de glória na MTV. Hoje, simplesmente é mais um super chato.

Se acha o último acarajé da Bahia. Fez uma mega propaganda do seu “revolucionário” programa Legendários, que no final das contas era apenas mais uma imitação ruim de outros programas chatos. Até o elenco de Hermes e Renato conseguiu ficar chato ao se juntar a este mala sem alça.

#5 – Charlie Sheen

Ele ganhava milhões para ser o protagonista de uma das séries mais assistidas de todos os tempos: Two and a Half Man. Mas como todo bom chato, ele conseguiu estragar tudo. Ele não só queimou muito baseado como o filme também. Por causa de problemas com drogas e álcool, se envolveu em uma série de polêmicas. Fez festas com prostitutas, bateu na mulher, falou asneiras para meio mundo. Ele diz que as festas dele são inesquecíveis. Bem, do jeito que as coisas vão indo, um dia o dinheiro acaba e ele será só mais um chato esquecido.

#4 – João Kléber

Eu sinceramente não consigo entender como tinha gente que assistia o programa do João Kléber. Eu não assistia, me lembro de pouca coisa, mas sei que rolavam umas pegadinhas bem imbecis, e todo aquele suspene em torno de histórias estranhas de gente mais estranha ainda que ia ao programa dele. Na tentativa de prender a pouca audiência, falava “PÁRA PÁRA PÁRA PÁRA!” no momento tchananan da história. Um chato de carteirinha!

#3 – José Luíz Datena

Arrogante, se acha o dono da verdade: julga e fala como se tivesse propriedade de todos os assuntos do mundo, martelando notícias trágicas para fazer sensacionalismo. Típico “jornalismo” que eu faço questão de não assistir.

#2 – Jô Soares

O que ele tem de inteligente, ele tem de chato. Geralmente se faz de simpático, mas vira e mexe deixa escapar seu tom arrogante (que na minha opinião parece ser a real personalidade dele). Às vezes passa a impressão de sentir prazer em causar constrangimento aos seus convidados. Acredito que sua chatice tenha sobressaído no Prêmio Portugal Telecom de Literatura. Não sei se ele ficou com inveja, estava com necessidade de aparecer, humilhar alguém ou se simplesmente estava de TPM, mas com certeza nem tão cedo será chamado novamente para apresentar um prêmio como este.

#1 – Lars von Trier

Este cineasta faz questão de ser polêmico. Se acha um gênio, mas dos filmes às declarações públicas, ele se supera em tosquice a cada dia.

No mês passado ele conseguiu uma façanha: ser banido do Festival de Cannes. Motivo: ser um chato que não pensa no que fala.

Veja também a lista do Anselmo, do Master e do Ricz.

Sobre Pain of Salvation

Antes que você pergunte: não, não é uma banda gospel.

Esta banda sueca de rock/metal progressivo que foi fundada em 1991 pelo vocalista Daniel Gildenlöw, hoje conta também com Fredrik Hermansson (teclado), Johan Hallgren (guitarra) e Léo Margarit (bateria) . É uma das minhas bandas favoritas (talvez seja a minha preferida), e como no próximo domingo irei novamente ao show deles, resolvi escrever um pouco sobre a banda para quem ainda não teve a oportunidade de conhecê-la.

Para começar, posso afirmar que o Pain of Salvation não se parece com nenhuma outra banda. Aliás, eles mesmos não se parecem: cada álbum passa a impressão que estou ouvindo uma banda diferente. Podemos ouvir músicas mais pesadas, outras mais trabalhadas, românticas, algumas até com uma pegada de blues. Do meu ponto de vista, a originalidade é a essência deles.

Todos os álbuns são conceituais. As letras giram em torno de temas às vezes um tanto quanto complicados, por exemplo: relacionamentos, família, guerra, drogas, consumismo, abuso, superficialidade, imperalismo. Basicamente, o Pain of Salvation na maioria das vezes extrai o que pode haver de mais conflitante dentro de uma pessoa e coloca isso em música. As letras dão aquele impacto em quem ouve com atenção, e o jeito que o Daniel canta transmite o sentimento em questão.

Para vocês conhecerem um pouco do que é o PoS, farei um breve resumo dos temas abordados pelos álbuns (deixei o EP Linoleum e o acústico 12:5 de fora).  As legendas das figuras são trechos de letras dos álbuns.

1997 – Entropia

O nome do álbum vem de Entropia (medida de desordem em um sistema termodinâmico) + Utopia (o mundo ideal). Ele trata de uma família separada pela guerra. Nas palavras do Daniel, “sobre um pai que não consegue proteger sua família, sobre uma criança que precisa de um pai e não de um soldado, sobre uma sociedade que mata.”

painofsalvation-entropia

“Losing all I lived for… losing all I fought for.”

1998 – One Hour By The Concrete Lake

Uma pessoa trabalha numa indústria bélica. Ela foi ensinada que seu trabalho serve para proteger a população do seu país. Em determinado momento, ela pensa naquilo e começa a ficar com a consciência pesada: indiretamente, está matando milhares de pessoas. Então resolve andar por aí e ver as consequências da guerra.

Por que este álbum se chama One Hour By The Concrete Lake? Bem, talvez você não saiba, mas realmente existe um lago de concreto. É o lago Karachay, na Rússia. Ele foi usado por muitos anos como depósito de lixo radioativo e é provavelmente o mais poluído do mundo. Para tentar amenizar a situação,  jogaram milhares de blocos de concreto para impedir ao máximo que a radioatividade se espalhasse. Ainda assim, se você passar uma hora perto deste lago, sem chance: você morrerá em alguns dias.

painofsalvation-ohbtcl

“And I am just a wheel in motion, too blind to see”

13_big

Lago Karachay, Russia

2000 – The Perfect Element, Part I

Trata sobre os problemas na transição da infância para adolescência: drogas, amor, vergonha, arrependimentos, decepções, abuso, sentimentos conflitantes.

pos-perfectelement

“Getting used to pain”

2002 – Remedy Lane

É uma autobiografia do vocalista Daniel Gildenlöw. É conceitual, mas as músicas não estão em ordem cronológica. No encarte do CD, você vê datas e lugares e consegue colocar na ordem cronológica. Eu fiz isso, mas acho muito mais legal ouvir na ordem que está gravado o CD.

Amor, traição, novo amor, conflitos, tragédias, reconciliação. Esta foi a vida dele. Existe uma expressão que diz:take a walk down memory lane”, que significa “recordar o passado”. Aqui temos “take a walk down remedy lane”, que segundo o próprio Daniel quer dizer “reconciliar o passado e encontrar uma solução para a crise.”

PS: este é o meu preferido!

1653

“We will always be more human than we wish to be”

2004 – Be

É o preferido da grande maioria dos fãs da banda. Muito complexo para falar em um resumo, é pura viagem esse álbum: sondas espaciais, criogenia, a humanidade se destruíndo etc.

Nem me arrisco muito a falar, este álbum causa muita discussão. Melhor você ler este Review.

Uma curiosidade: a banda colocou um número de telefone à disposição dos fãs assinantes da newsletter, onde uma secretária eletrônica gravava as “orações”. Desta forma foi criada a faixa “Vocari Dei”.

hqdefault

“Life’s turning its back on us…”

2007 – Scarsick (The Perfect Element, part II)

Os fãs criticaram muito este álbum pela sonoridade completamente diferente do que se espera de uma banda de “metal progressivo”.  Pode ver pelas músicas “Spitfall” e “Disco Queen”. Mas é como eu disse no começo: o Pain of Salvation procura fazer algo diferente a cada disco. Praticamente impossível rotular.

Mas vamos falar do tema do álbum: enquanto Perfect Element part I trata dos problemas da adolescência, este álbum é completamente político: imperialismo, captalismo, consumismo, guerra. Parece nada a ver, mas nosso querido Daniel Gildenlöw explicou que o personagem “He” em Perfect Element I é uma alegoria para a humanidade, e trata a parte psicológica do indivíduo, enquanto o Scarsick trata o sentido sociológico e explora a relação dos dois. Juro que se não tivesse lido isso eu nunca iria associar uma coisa com a outra.

220px-painofsalvation-scarsick

“Step into the dark age of treason…”

2010 – Road Salt One

Este album, também muito criticado pelos fãs pela falta de peso no som, fala sobre fazer difíceis escolhas, daquelas que envolvem todo o conjunto de caráter e moral de um ser humano, muitas vezes lutando contra seus desejos . Daniel Gildenlöw disse numa entrevista que o enredo deste disco é semelhante à história do filme Magnólia.

pain_of_salvation_road_salt_1_cover_art

“So many choices burned into my mind…”

Lógico que Pain of Salvation é muito mais que isso que eu escrevi aqui.

Se você se interessou e quer ouvir a banda, clique aqui e ouça a playlist que fiz no Grooveshark.

Site oficial: www.painofsalvation.com/

Lista 7 – Melhores Posters de Filmes

Na lista desta semana, escolhemos os 7 melhores posters de filmes de todos os tempos.

Eu não posso me considerar uma “cinéfila”, mas fiz o melhor que pude (o google me ajudou bastante também hehehe). Lembrando que levamos em conta os cartazes dos filmes, não a qualidade do filme em si.

E lá vamos nós!

#7 - Ong Bak

#6 Banzé no Oeste

#5 Scarface

#4 - Batman: O Cavaleiro das Trevas

#3 - Watchmen

#2 - Caminhos Perigosos

#1 - V de Vingança

Veja também a lista do Ricz,  do Master , do Anselmo e do Raul!!!