Espírito Santo – Parte I

Havia um grande buraco no meu mapa de viagens pelo Brasil: o Espírito Santo. Comecei a pesquisar o que havia pra fazer por lá e encontrei muitos lugares que despertaram meu interesse para uma visita de 10 dias.

Ao passo que montava meu roteiro, percebi que o turismo para o Espírito Santo é pouco incentivado. Por exemplo, uma pessoa que não costuma viajar por conta vai encontrar dificuldades para achar um pacote para o Espírito Santo. A CVC tem um pacote de 5 dias chamado “Praias Capixabas”, mas achei um roteiro muito pobre para o tanto de coisa que tem para se fazer pelo Espírito Santo. Isso é uma pena, pois há lugares com um potencial turístico muito forte. Há praias maravilhosas e do meu ponto de vista, não perdem em beleza natural para nenhuma praia do Nordeste, só que com preços muito menores. Os lugares obviamente são muito mais acessíveis pra quem viaja de carro.

Depois de muita pesquisa, fiz um roteiro de 8 dias para Guarapari e Vila Velha, com um pulo em Vitória e Domingos Martins. Prepare-se pra provar uma típica Moqueca Capixaba. Seguem minhas dicas e experiências nestas cidades.

De Vitória a Guarapari

Decidi que Guarapari seria meu primeiro destino. Para ir até Guarapari, você precisa pegar um voo até Vitória e ir de ônibus até lá. Os voos de São Paulo a Vitória são bem em conta. Comprando com antecedência, você não vai pagar mais que R$250.

Tem ônibus que vai do Aeroporto até a Rodoviária mas acabei pegando um táxi, que não custou muito. Acho que foi até melhor porque para chegar até a Rodoviária você passa por uma região bem estranha. No geral, Vitória não é uma cidade que passa muita segurança. Fui na época de eleições municipais e os políticos sempre batiam na tecla da segurança, pois diz a lenda que Vitória é uma das capitais mais violentas do país. Enfim, tome as precauções que você tomaria em qualquer lugar que você anda.

Os ônibus de Vitória a Guarapari saem praticamente de meia em meia hora e o percurso dura pode ser de até 2:30h, dependendo do ônibus que você pegar.

GUARAPARI

Guarapari é uma cidade pequena e a maior parte dos ônibus são circulares, então fica difícil se perder. Caso precise de informação, os capixabas são muito solícitos e vão ajudar você a se encontrar. Pra mim o sotaque capixaba soa muito parecido com o sotaque paulistano. Apesar disso, você vai ouvir muito sotaque mineiro. Eles viajam para o Espírito Santo em peso.

O Hotel

No Booking.com, agendei o Hotel Pousada Caminho da Praia e acho que não poderia ter escolhido melhor. Fica bem próximo a uma avenida onde tem restaurantes, supermercado, posto de gasolina, caixas eletrônicos e onde você pode pegar ônibus pra tudo quanto é lado, mas é silencioso e tranquilo. Tem piscina, churrasqueira, salão de jogos, um café da manha delicioso e no fundo da pousada, uma área verde cheia de macaquinhos. Com uma caminhada de 10 ou 15 minutos você chega à Praia do Morro. Na praia do Morro é possível fazer uma trilha no morro e quem sabe ver um lindo pôr-do-sol.

O dono do hotel  Sr. Fernando é muito gente boa. Qualquer informação pode pedir a ele ou a qualquer funcionário do hotel, todos são muito atenciosos.

Pousada Caminho da Praia

Praias

Disseram que na alta temporada a cidade fica muito cheia e agitada. Eu fui em setembro, o tempo estava ótimo e nada de disputar palmo de areia com outras pessoas, nem de trânsito nas pequenas vias de Guarapari. O mais importante: as praias estavam limpas.

Uma das praias mais famosas é a Praia da Areia Preta, por causa da areia com alto teor de monazita, que tem poder medicinal. Você vai ver que tem muitos velhinhos nesta praia hahaha. Eu conversei com alguns e eles garantem que a saúde melhorou depois que se mudaram pra Guarapari. A estrutura da praia é muito boa, só a faixa da areia que é estreita e a maré pode alcançar você e suas coisas rapidinho.

Praia da Areia Preta

Continuando pelo centro, passei uma sequência de praias com uma paisagem de tirar o fôlego: Praia dos Namorados, Praia das Castanheiras e Praia do Meio. Aqui as praias são mais agitadas, com mais espaço e mais bares na orla.

Praia das Castanheiras

Praia dos Namorados

Se você foi a essas praias e já ficou boquiaberto, imagina quando chegar na Enseada Azul. Sim, é bem azul mesmo! E as praias são limpas pra caramba. Guaibura, Bacutia e Mucunã (ou Peracanga) além da escondida Praia dos Padres formam esse complexo de praias paradisíacas da Enseada Azul. Fiz uma coisa bem maluca: parei na primeira praia e fui até a última a pé, parando um pouquinho em cada uma. Tirando a praia de Peracanga, nas outras não tem nenhum restaurante / lanchonete. Trate de levar sua farofa pra comer (e não esqueça de um saquinho pra levar seu lixo embora).

Obs: A Praia dos Padres você só consegue chegar através de uma pequena trilha.

Praia de Guaibura

Praia de Peracanga

Praia de Bacutia

Praia dos Padres

Outra praia que você não deve deixar de conhecer é a Praia da Sereia. À beira desta praia há muitos restaurantes de culinária típica capixaba.

Guarapari é um ótimo lugar pra quem gosta de fazer mergulho. Eu pensei muito em fazer, mas em pouco tempo o clima virava, garoava forte ou chovia. Mas quem se interessar, temos a operadora Atlantes e a Aquasub.

Depois de passar por tantas praias maravilhosas, continuei minha viagem em Vila Velha. Como as pessoas no geral são preguiçosas para ler e o texto está ficando gigantesco, vou escrever sobre esta cidade em um segundo post.