Riverside – Love, Fear and the Time Machine (2015)

Como às vezes escrevo sobre música aqui no blog, resolvi falar sobre meu álbum preferido desde 2015 – Love, Fear and the Time Machine da banda polonesa Riverside. Por acaso no dia que o disco foi lançado eu estava no show deles aqui em São Paulo, no Overload Fest e gostei logo de cara ao ouvir as duas músicas que eles tocaram do lançamento. Desde então ouço com muita frequência.

Como quase todos os discos de rock progressivo, o álbum é conceitual e fala basicamente sobre decisões que escolhemos tomar ou não e os fatores que influenciam isso: amor, o medo, o que passamos e o que pensamos sobre o futuro. Vamos analisar qual a mensagem das músicas, com base nas letras e numa entrevista com o vocalista Mariusz Duda.

riverside-cover

Lost (Why Should I Be Frightened By a Hat?)
A frase “Why should I be frightened by a hat?” (Por que é que um chapéu faria medo?) foi retirada do livro “O Pequeno Príncipe”. Na história, o piloto desenhava um elefante engolido por uma jibóia, mas nenhum adulto entendia o desenho. Eles viam como um chapéu e faziam a pergunta: por que um chapéu faria medo?

Aqui, o que querem dizer é: por que devemos ter medo de algo que não sabemos? Quando estamos no processo de tomar uma decisão, podemos nos sentir perdidos. No final das contas isso tem um lado positivo porque às vezes as perdas ou o desconhecido nos tornam pessoas melhores ou mais fortes. Tudo na vida é experiência.

I was frightened of a thousand hats
Bouncing off the answers, losing pride
Had a fear of failure and true love
But I don’t regret that I am what I lost

Under the Pillow
Esta faixa fala muito sobre estarmos desapontados conosco e nossas lutas contra pensamentos negativos. É sobre apenas ver a vida passar e não agir para fazer o que devemos fazer: sair da zona de conforto.

While you’ve been watching too much daytime TV
Dreaming on demand

Your “from tomorrow” just became “yesterday”
Made you crawl again under the bed covers
Hey you, rise and shine! You must learn to stand your ground
How long can you hold your breath under the pillow?

#Addicted
Addicted significa viciado. E hoje o maior vício de muita gente por aí é rede social. A música fala a respeito do exagero de postar tudo que se faz na internet, mendigando likes quando a vida online no fundo é apenas uma máscara – a pessoa quer passar a imagem de alguém que ela não é simplesmente para ganhar popularidade, sendo que o maior medo dela é a solidão.

So hashtag me and go cause I’m addicted to your love
I’m afraid you’re the only friend I’ve got
There’s a mask upon my face I can’t live without
So you won’t recognize me when I am in the crowd
I lost my calmness in the world where everything is searchable

Caterpillar And The Barbed Wire
Uma crise existencial na meia-idade. Às vezes passamos a vida toda reprimindo nossos sonhos, presos em uma rotina diária que não é bem o que gostaríamos. Assim como a lagarta da música prefere continuar lutando contra o arame farpado, se machucando e evitando de se transformar em borboleta, muitos preferem evitar uma transformação na mente ou na vida, continuando presos em uma situação desagradável. Além disso, aparentemente o personagem parece se lembrar que também não está com a pessoa que ele ama. Tudo isso por causa de medo e falta de confiança.

I can’t pretend anymore I’m tired of suppressing all of my needs
I want to belong to the cloudless sky not to the shaded ground

But it’s so hard to admit that I lived without your light
Trying not to believe that I need it more
Now the bleeding won’t stop for I struggled through the barbed wire
Trying not to believe that I need your love.
Trying not to believe in love. 
But it got me now.

Saturate Me
Esta faixa curta que está conectada com #Addicted tem um significado grande: o nome da faixa vem por causa de “saturation” uma das opções que faz parte de programas e aplicativos de edição de imagens. Para Mariusz Duda, as pessoas conectadas na internet o tempo todo perderam suas identidades e assim elas pegam as melhores aspectos de várias pessoas diferentes e montam uma personalidade de como elas gostariam de ser. Essa personalidade serve como uma máscara mostrada nas redes sociais onde todos sempre estão lindos e felizes, mas a realidade da pessoa é outra.

iCrowd patterns beliefs guided trips search for hints
Copy/paste brain turned off in my invisible ”oh” life
I don’t want to feel like I’m no one anymore

Afloat
Afloat também é uma faixa curta e é o ponto de mudança do personagem do álbum. É sobre a dor que ele sente, mas de maneira positiva desta vez: ele aceita tudo o que passou, admite que faz parte dele e segue em frente.

Dream on, my pain, my scar, my thorn
You’ve been a part of me… let me stay afloat

Discard Your Fear
Aqui é hora de deixar as coisas ruins que aconteceram no passado parar de influenciar o seu presente, de ter a consciência de que nossa mente tem o poder de distorcer fatos que se passaram e paralisar nossa vida. É hora de parar de ter medo do desconhecido, ter coragem de tomar as decisões e de fazer algo novo na vida. É hora de não ter mais medo de amar.

Discard your fear of the unknown be here and now
Just find yourself in peace, try to free your mind
Wake up, get unstuck, let it go
Scare away your fear no more fear of new life
Fear of days of the unknown
No more fear of love

Towards The Blue Horizon
A canção é a respeito de uma amizade de infância, onde muitos momentos bons foram compartilhados mas que a vida acabou separando. A “Time Machine” (Máquina do Tempo) entra no contexto pois existe uma certa nostalgia na música e com certeza o personagem gostaria de voltar no tempo para reviver aqueles momentos com o amigo.

Where are you now my friend? I miss those days
I hope they take good care of you there
And you can still play the guitar and sing your songs
I just miss those days and miss you so
Wish I could be strong when darkness comes

Time Travellers
Mais uma vez o personagem quer usar a “Máquina do Tempo” para voltar à infância. Mas ele segue em frente, olhando para trás de certa forma. Mariusz diz que antigamente, a empolgação em fazer coisas novas era completamente diferente e pura porque se você quisesse fazer algo, era necessário paciência, dedicação, merecimento. Hoje temos acesso a tudo, em qualquer momento, em diversas plataformas e o sentimento não é o mesmo.

Let’s go back to the world that was 30 years ago
And let’s believe this is our time

Found (The Unexpected Flaw of Searching)
Se na primeira faixa do disco ele estava perdido, aqui ele se encontra. Ele olha para trás e vê todas as dificuldades que passou, mas agora as nuvens estão indo embora e o sol está voltando. Ele aceita que tudo faz parte de seu crescimento, de seu aprendizado. Agora ele vê as coisas como elas são e não tem mais medo. Ele acredita que a vida é bela e que não deve desistir dos sonhos; que ele deve continuar com o que ele acredita ser o certo. E se sente como uma criança que está começando a vida, ou seja: é um novo começo para ele.

Esta faixa encerra o álbum com chave de ouro e de quebra o clipe tem uma fotografia incrível. O lindo solo foi o último presente do guitarrista Piotr Grudziński, que faleceu 5 meses após o lançamento do álbum. De longe minha música preferida deste disco.

Love, Fear and the Time Machine toca fundo porque todos nós passamos pelas coisas descritas ao decorrer da vida. A hesitação, o medo, a ansiedade e a dificuldade de tomar uma grande decisão. Às vezes agimos e quebramos a cara. Às vezes desistimos. Outras vezes estamos deprimidos, desmotivados ou paralisados de alguma forma para fazer algo novo. Usamos a televisão e as redes sociais como válvula de escape ou como meio de alimentar nosso ego na tentativa de preencher um vazio existencial. Deixamos que circunstâncias diversas nos afastem pessoas que amamos. Muitas vezes nos arrependemos. Mas somos quem somos hoje por causa de nossas experiências, tenham sido elas positivas ou negativas. Somos nossas conquistas e também nossas perdas. Qualquer que tenha sido a situação, aceitar o que aconteceu e superar nos torna mais fortes. E assim seguimos em frente fazendo o que acreditamos ser o certo e, se possível, estando em paz com isso. Caso não estejamos, temos a opção de recomeçar. Sempre é tempo de mudar!

Se quiser ouvir o álbum, abaixo tem o link do Spotify. Enjoy! 🙂

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s