Inhotim

– Inho-quê?

Essa foi a pergunta que eu mais ouvi ao dizer que faria uma viagem a Minas Gerais para conhecer Inhotim. Nenhuma pessoa com quem falei tinha sequer ouvido falar neste lugar. Engraçado que tinha tanto gringo quanto brasileiro lá. Inhotim é um museu de arte contemporânea que expõe suas obras a céu aberto ou em galerias temporárias ou permanentes num lindo Jardim Botânico situado na cidade de Brumadinho, aproximadamente 60km de Belo Horizonte.

Beleza natural de Inhotim

Depois de alguns passos após entrar, você se depara com isto

Legal esse banco, não é?

Até pouco tempo antes eu também não tinha ouvido falar nesse em Inhotim. No voo da viagem ao Espírito Santo, li numa revista da TAM a respeito de um artista chamado Tunga, que possui uma exposição permanente em Inhotim numa galeria que leva seu nome. Achei as obras interessantes e anotei o nome do lugar para pesquisar depois, mas a própria TV Globo do Espírito Santo passa diversos lugares turísticos do Brasil nas propagandas e foi lá que vi Inhotim novamente. Meu interesse cresceu e assim que tive a oportunidade, programei minha visita ao local.

Em Belo Horizonte

Peguei um voo até Belo Horizonte e me hospedei em no apart hotel Ímpar Suítes Cidade Nova, numa região boa e com fácil acesso a qualquer lugar da cidade por ficar próximo à uma avenida onde passa muitos ônibus. É próximo também ao Minas Shopping e à estação de metrô. O metrô de Belo Horizonte parece mais o trem da CPTM da linha Diamante. Mas tudo bem.

Em Belo Horizonte, não deixe de visitar a Praça da Liberdade com seus edifícios históricos e fazer um passeio na Savassi.

De Belo Horizonte a Inhotim

Há um ônibus de Belo Horizonte diretamente a Inhotim pela companhia Saritur. Compre sua passagem pelo menos um dia antes, pois há só uma saída pela manhã e uma volta no final da tarde. Você pode comprar as passagens online no site da empresa. Cada trecho custa aproximadamente R$16,00. A rodoviária fica na estação Lagoinha do metrô.

Inhotim

Na bilheteria, você pode comprar o ingresso para o dia ou um passaporte válido para vários dias. Realmente, visitar em um dia só é bem corrido pela imensidão do lugar. Coloque seu tênis mais confortável para explorar Inhotim. Cheio de subidas, descidas e com obras até no meio do mato, não esqueça de passar protetor solar e levar sua garrafa d’água.

Não se preocupe tanto com a parte de comida. Há diversos tipos de lanchonetes e restaurantes espalhados pelo parque.

Pra quem tem dificuldades de locomoção, eles oferecem transporte em um carrinho. Para usar este serviço, é necessário pagar uma taxa de R$20,00 junto com seu ingresso na entrada. Eles aceitam cartões. O museu não abre às segundas e às terças a entrada é gratuita.

No mapa que você pega na bilheteria, há um traçado com as trilhas que você pode fazer a pé. Prepare-se para descobrir obras interativas, misteriosas, abstratas e divertidas. Além de curtir as obras, dá uma paz um lugar com tanto verde, belos lagos e ar puro. Inclusive você pode ver alguns animais passando pelos campos.

Saguizinho passeando pela trilha

Um dos lagos de Inhotim

O mapa é esse aqui igual do site: http://www.inhotim.org.br/uploads/Noticias/mapa-parque.htm

Vou destacar algumas obras de exposições permanentes que achei muito interessantes:

Galeria Cosmococa

Que tal deitar numa rede ou em um puff e relaxar ao som de Jimi Hendrix? Ou talvez entrar numa piscina pra lá de psicodélica? Sim, você pode entrar na piscina se tiver uma roupa de banho! Vi crianças se divertindo a rodo. Para entrar nesta galeria, você precisa tirar os sapatos. O chão é diferente e você precisa sentí-lo.

Curtindo o som de Jimi Hendrix na Galeria Cosmococa

Piscina

Esta obra de Jorge Macchi representa uma agenda telefônica na forma de piscina. Aqui você também pode entrar e nadar.

Obra: Piscina, de Jorge Macchi

A Origem da Obra de Arte

Aqui, a artista Marilá Dardot faz com que os visitantes interajam com sua obra. Há diversos vasos de cerâmica em forma de letras e ferramentas para cultivar plantas. Você pode plantar e brincar de formar palavras e frases com os vasos.

Obra: A Origem da Obra de Arte, de Marilá Dardot

Sound Pavilion

Vale a pena a subida para chegar ao Sound Pavilion, obra do artista Doug Aitken. Há microfones que captam diferentes sons da terra na profundidade de 200m. Estes sons são amplificados dentro do pavilhão de vidro, de onde você tem uma visão dos morros e da mata ao redor. Relaxante pra valer!

Sound Pavilion, de Doug Aitken

Vegetation Room

Numa clareira, o Vegetation Room é um pequeno labirinto. Não dá pra se perder, mas é bem interessante. No meio do labirinto tem uma pequena queda artificial. A artista quis passar uma idéia de “paraíso secreto”.

Obra: Vegetation Room, de Cristina Iglesias

E tantas outras obras…

Inhotim tem tantas obras e galerias que é impossível comentar uma a uma (até porque quem sou eu pra ficar comentando obras de arte, não entendo nada!). Mas caso você queira conhecer um pouco mais das outras obras e dos artistas, além de conferir o que há nas exposições temporárias visite o site: http://www.inhotim.org.br/index.php/p/v/172

Confira sempre a programação: além das exposições temporárias, algumas vezes há shows e apresentações de outros tipos.

Obra: Troca-Troca, de Jarbas Lopes

Obra: Elevazione, de Giuseppe Penone

Obra: Beam Drop Inhotim, de Chris Burden

Na minha opinião, Inhotim é um lugar único que todo brasileiro deveria visitar uma vez na vida. Mesmo que a você não goste tanto de ver obras de arte, só de estar em um lugar tão lindo já vale a pena a viagem. É um lugar pra pessoas de todas as idades! Acho que não preciso dizer muito, as imagens falam por si… eu iria de novo!

Espero que você pegue um lindo dia de sol =)

Advertisements