Munique

Como eu disse no post anterior, não consegui reservar hotel em Munique por causa da Oktoberfest. Por isto peguei o primeiro trem de Füssen a Munique, de manhã bem cedo. Minha passagem para Berlim já estava comprada e o trem partiria às 22:10. Eu tinha mais ou menos 10 horas para tentar conhecer um pouco de Munique.

O movimento em Munique estava grande já pela manhã. Deixei minha mochila no guarda volume (locker) da estação. Há espaço para volumes diferentes de bagagem, por isto o preço varia. Cuidado para não perder a chave ou ticket ou terá sérios problemas para retirar a bagagem, já que não há ninguém que toma conta do local.

A estação München Hbf (estação central) é ligada à 10 linhas de metrô. Na Alemanha há o S-Bahn (Stadtbahn – metrô rápido, via urbana) e o U-Bahn (Untergrundbahn, subterrâneo). É tudo metrô. Pelo que entendi, a diferença é a via percorrida e a empresa que opera. O S-Bahn e o U-Bahn são interligados, mesmo que às vezes para fazer conexão de uma estação S-Bahn para uma estação U-Bahn você tenha que sair e atravessar uma rua. Pela primeira vez eu tive que ficar analisando o mapa de metrô para saber como ir de um lugar a outro. São muitas linhas!

Comprei o bilhete de metrô em uma máquina. Para viagens ilimitadas a partir da hora de ativação do seu bilhete até às 6:00h da manhã do outro dia, o bilhete custa €5,40. Munique é uma cidade muito legal para conhecer a pé mas assim como em Füssen, fazia frio e chuva.

Roteiro na mão, coloquei minha capa de chuva e desci na estação Sendlinger Tor. Há muito comércio na Sendlinger Straße (strasse = rua). Aproveitei para comer e comprar um guarda chuva. Um dos pontos mais visitados de Munique é a Asamkirche, de arquitetura rococó e totalmente decorada. De lá fui andando até o Glyptothek, que você também pode chegar de metrô descendo na estação Königsplatz. Era uma segunda feira e estava fechado. Infelizmente não pude conhecer seu acervo de esculturas.

Glyptothek Photo: www.engr.psu.edu (melhor que minha foto na chuva)

Glyptothek Photo: http://www.engr.psu.edu (melhor que minha foto na chuva)

Siegestor, "Portão da Vitória"

Siegestor, "Portão da Vitória"

A chuva havia diminuido e resolvi caminhar.  A intenção era chegar ao Englischer Garten (Jardim Inglês), um parque muito bonito com pontos dignos de serem visitados. Fui andando pela Ludwigstraße e vi o Siegestor, um Arco com o símbolo da Bavaria. Do outro lado do Arco, começa a Leopoldstraße. Continuei andando até chegar ao ponto de referência: a estação de metrô Giselastraße. Estava meio complicado encontrar uma entrada para o Englischer Garten. Pedi informação a uma pessoa na rua e ele falou que era melhor ir de táxi, pois o acesso era difícil. Realmente, se você quiser ir para a entrada principal é difícil o acesso, mas o parque tem vários acessos alternativos. Pela própria Giselastraße, vire à direita na Königinstraße e você achará um destes acessos.

O Parque Englischer Garten é muito grande mesmo. No mapa abaixo você terá uma idéia dos pontos principais a serem visitados. O maior destaque é a Chinesischer Turm (Torre Chinesa). Há alguns restaurantes em volta. Entre no site http://www.chinaturm.de/ para ver como funciona. Segundo o guia, dentro do Englischer Garten há três jardins de cerveja com música ao vivo. Deve ser bem legal visitar num dia quente e sem chuva, porque eu quase escorreguei na lama que ficou após a chuva algumas vezes =)

Mapa do Englischer Garten - Photo: www.m.blog.hu

Chinescher Turm (Torre Chinesa)

Chinescher Turm (Torre Chinesa)

Peguei o metrô e fui direto para a estação Marienplatz. Cartão postal e centro de Munique, é lá onde se encontra a Neues Rathaus (Nova Prefeitura), que chama atenção não só pela arquitetura, mas pela decoração que conta com estátuas de gárgulas, personagens mitológicos, dentre outras bizarrices. Para quem gosta de fazer compras, a Marienplatz é um bom lugar.

Rosenstraße, rua do centro de Munique com o Neues Rathaus ao fundo

Rosenstraße, rua do centro de Munique com o Neues Rathaus ao fundo

Visão panorâmica a partir da Frauenkirche

Visão panorâmica a partir da Frauenkirche

A poucos metros de distância da Marienplatz fica a Frauenplatz, praça onde encontra-se a Frauenkirche. A torre desta enorme igreja é aberta para quem quer ter uma visão panorâmica da cidade de Munique. Ao redor da Frauenplatz há alguns restaurantes e bares que valem a pena uma visita.

Eu fiquei perambulando no centro e cheguei à Theatinerkirche. Durante o percurso e em volta dela há diversos lugares que chamam a atenção. O problema é que eu sinceramente não me lembro do nome de nenhum deles. Inclusive vi um monumento à um tal de Maximilian Joseph Graf von Montgelas mas que estava cheio de homenagens ao Michael Jackson. Enfim, vai entender…

Centro de Munique

Centro de Munique

O próximo lugar que queria ir era o estádio Olímpico. Peguei o metrô e desci na estação Olympia-zentrum. É só subir pelo parque e atravessar a ponte, de onde você consegue visualizar a sede da BMW, que diga-se de passagem é linda.

Sede da BMW, Munique

Sede da BMW, Munique

Entrada do Estádio Olímpico

Entrada do Estádio Olímpico

Vista do outro lado da ponte

Vista do outro lado da ponte

Peguei o metrô novamente para descer na estação Theresienwiese, onde fica a estátua da Baviera. Mas fiquei com preguiça de atravessar toda aquela multidão que estava na Oktoberfest. Ao contrário do que eu pensava, é só sair do metrô para chegar à festa. A Oktoberfest se originou a partir da festa de casamento do Rei Luís I. Desde então, tornou-se tradição não só em Munique.

Oktoberfest, Theresienwiese

Oktoberfest, Theresienwiese

Antes de voltar para a estação, ainda deu tempo de dar uma volta na Karlsplatz.

Um dia ainda quero voltar à Munique para conhecê-la com mais calma. Vale a pena: a cidade é bem desenvolvida e há muito o que fazer lá. Pensando nos lugares que ainda deveria conhecer, atravessei a movimentada estação München Hbf, peguei minha mochila no locker e passei por toda aquela gente com as roupas típicas alemãs que se dirigiam a Oktoberfest. Meu trem para Berlim já estava na plataforma.

Advertisements