Rockabilly Rules, ok?

Rockabilly nada mais é que a mistura de rock com o country (hillbilly), um estilo de música agradável e divertido. Com um piano animado e um jeito diferente de tocar baixo, o som se torna mais divertido para quem dança. Como diria meu amigo Murilo, o rockabilly sabe “como entreter as pessoas com letras inocentes, que vão de verdadeiras declarações de amor até um garoto pedindo para os pais para ficar até mais tarde na rua, com um ritmo extremamente dançante. São raras as garotas que já tenham visto alguém dançando e não sintam vontade de girar com tanta graça, e  todos os garotos querem ter a capacidade de fazer as garotas sorrirem e se divertirem tanta facilidade.”

Os anos 50 certamente foram anos dourados para quem viveu na época. A chamada geração “Baby Boomer” influenciou e modificou muito o modo de viver, quebrando algumas regras e vivendo mais sua juventude. Rapazes queriam ser astros do rock, com topetes, jeans apertado e jaquetas de couro, enquanto as moças sonhavam em ter o glamour de uma Pin Up, com belos penteados, vestidos rodados e salto alto. Em lambretas e cadillacs, iam tomar coca-cola ou milk shake e comer hamburger ao som do rockabilly, que marcou aquele tempo. Assim, foi estabelecida uma “cultura Rockabilly”.

Em meados dos anos 80, o estilo voltou com força através das bandas de Neo-Rockabilly, como Stray Cats e The Firebirds, e até hoje inspira diversas bandas que fazem versões tanto de músicas dos anos 50 como de músicas pop. Exemplo disso é o Full Blown Cherry, que faz cover de Ramones e AC/DC; The Baseballs, que fazem cover de Rihanna, Lady Gaga, Maroon 5, entre outros; Dick Brave & The Backbeats com cover de Michael Jackson, Pink e George Michael. Sem falar em bandas como TT Grace que tocam músicas próprias!

O Rockabilly vem crescendo bastante e se destacando no Brasil. Temos diversas bandas boas do gênero, como Crazy Legs, Jack Jeans, Alex Valenzi & The Hideaway Cats, Gaspa & Os Alquimistas, Annie & The Malagueta Boys e Henry Paul Trio. Vale a pena conferir.

Alguns levam tudo isso muito a sério, como estilo de vida. É o caso desta vila na Suécia, que parece viver nos anos 50 ainda. Sem exageros, é bem legal curtir e dançar ao som do Rockabilly. Dançar faz muito bem à saúde. Segundo esta matéria, a dança que mais faz gastar caloria é o Rock o/

Bem, se você ainda dança assim:

SEUS PROBLEMAS ACABARAM! O Rockabilly não exige que você seja um dançarino perfeito, você pode errar sem problemas. Até eu aprendi um pouco. A intenção é se divertir. Eu te conto onde aprender:

Em São Paulo:

The Clock Rock Bar – http://www.theclock.com.br

André Toffani – http://www.andretoffani.com/

Em Campinas:

Pasku Boots & Shoes – (19) 3387-7975

Em Jundiaí:

Gininha Canovas – (11) 9552-2617

Daí a gente aprende mais ou menos assim:

Agora é  só saber onde curtir e/ou dançar Rockabilly:

The Clock Rock Bar (São Paulo)

Pin Up’s Party (São Paulo)

Rockabilly Dancin’ Party (São Paulo)

Wooly Bully (Vinhedo)

Cadillac Vintage Bar (Santos)

Woodstock Music Bar (Campinas – confira a programação)

Jokers Pub (Curitiba – confira a programação)

Confira a agenda dos rockers! Outras informações sobre Rockabilly, Lindy Hop, Doo Wop, Boogie, etc no Portal Rockabilly.

Finalizo o post deixando para vocês C’mon Everybody do Elvis Presley.

Advertisements